domingo, 19 de janeiro de 2014

O novo Cardeal do Brasil

ImprimirPDF


Dom Roberto Francisco Ferreria Paz
Bispo Diocesano de Campos (RJ)


O Papa Francisco nomeou no dia 12 de janeiro, o Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, Cardeal da Igreja Católica.    Decisão esperada que muito honra a cidade maravilhosa do Rio de Janeiro, ao Regional Leste 1, a Igreja Católica no Brasil e a todo o Povo de Deus.  

Desde cedo Dom Orani se destacou por ser um pastor orante fiel a sua tradição cisterciense, de diálogo, incentivador de pastorais e profundamente sensível e próximo ao povo simples encorajando sempre a fé e a abertura a todas as pessoas.   Na Arquidiocese de Belém, articulou de uma forma profissional a comunicação, a formação do clero e do laicado e o encantamento do Círio de Nazaré como a principal festa religiosa do país.
Não foi surpresa sua indicação para o Rio de Janeiro, superou com facilidade o desafio e o teste da sua origem paulista, revelando com simpatia uma "alma carioca" compreendendo a importância da cultura carnavalesca e a necessidade de um planejamento pastoral urbano capaz de recuperar espaços, tornar presente e visível a Igreja, não como alfândega controladora, mas como  Casa de Comunhão, solidária com as dores e esperanças do povo fluminense.
Agora como Cardeal ele, dará uma força e criatividade extraordinárias ao projeto do Papa Francisco de tornar a nossa Igreja mais próxima, aberta e missionária, anunciadora de um Cristo Misericordioso e Amável.
Quero como irmão no episcopado expressar minha alegria, contentamento e orgulho, pois, não só me sinto profundamente identificado com o estilo pastoral de Dom Orani, com a sua mensagem sempre atual e contextualizada , mas porque o admiro como um Pastor que faz a diferença e revela com autenticidade o rosto de Cristo Salvador em todas as suas atitudes e gestos.

Que esta nomeação possa fortalecer também a corresponsabilidade da Igreja Latino Americana e Brasileira na condução e missão da Igreja Universal, ampliando os espaços de evangelização, de comunicação e inculturação da fé, servindo com amor e gratuidade a humanidade, construindo a civilização da ternura, da paz e da vida plena para todas as criaturas. Deus seja louvado!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa