terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Regional Sul 1 promove encontro da Pastoral Juvenil





O bispo auxiliar de Campo Grande (MS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, dom Eduardo Pinheiro da Silva, assessorou o Encontro da Pastoral Juvenil do regional Sul 1 (São Paulo). O evento foi realizado no dia 15 de fevereiro, na diocese de Mogi das Cruzes (SP), com a participação de 50 representantes do Setor Juventude das dioceses de São Paulo.

Dom Eduardo apresentou o tema “Evangelização da Juventude” e os aspectos da missão da Igreja no Brasil, citando os Documento 87 da CNBB, a criação da Comissão Episcopal para a Juventude em 2012, a Campanha da Fraternidade e a Jornada Mundial da Juventude ocorrida no Rio de Janeiro, no ano passado. O bispo destacou iniciativas positivas na evangelização da juventude no Brasil.
Os participantes do regional Sul 1 levantaram três necessidades para a evangelização: aprimorar metodologia na pastoral juvenil, criar projetos que visem a superação da violência e a dimensão missionária.
O bispo de Mogi das Cruzes e referencial para o Setor Juventude do Regional, dom Pedro Luiz Stringhini, propôs na realização de uma Jornada Regional da Juventude. “Constatou-se que quase todas as dioceses do regional realizam, no segundo semestre, o Dia Nacional da Juventude (DNJ) e que muitas realizam, no primeiro semestre, a Jornada Diocesana da Juventude. Fica o apelo para que isso aconteça”, disse.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa