sábado, 26 de fevereiro de 2011

8º DOMINGO DO TEMPO COMUM


Cor verde - ANO A - 27/02/2011
8º DOMINGO DO TEMPO COMUM



Buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça





01. ACOLHIDA
Animador(a) - Irmãos e irmãs, paz e bem a todos vocês que vieram participar deste encontro
comunitário, no qual faremos memória da Páscoa do Senhor Jesus. A liturgia deste domingo nos convoca a buscarmos o Reino de Deus e a sua justiça para que tenhamos uma sociedade onde todos possam viver com dignidade de filhos e filhas de Deus.
Animador(a) - Vamos, neste momento, recordar os fatos que marcaram esta semana que passou, assim como externar os motivos que nos trouxeram a este templo para celebrar em comunidade, o Dia do Senhor.

O animador incentiva a assembleia neste momento.
Animador(a) - Felizes por estarmos reunidos como a grande família de Deus para celebrarmos
nossa vida e nossa fé no Ressuscitado, cantemos.
Procissão de entrada como de costume.

02. CANTO INICIAL
JESUS CRISTO ANUNCIAVA POR PRIMEIRO UM NOVO REINO DE JUSTIÇA E SEUS VALORES: “VÓS NÃO PODEIS SERVIR A DEUS E AO DINHEIRO E MUITO MENOS AGRADAR A DOIS SENHORES”.
1. Voz de um profeta contra o ídolo e a cobiça: “Endireitai hoje os caminhos do Senhor!” Produzi frutos de partilha e de justiça! Chegou o Reino: Convertei-vos ao amor!
2. Não é a riqueza, nem o lucro sem medida que geram paz e laços de fraternidade; mas todo o gesto de partilha em nossa vida que faz a fé se transformar em caridade.
3. No evangelho encontrareis a luz divina, não no supérfluo, na ganância e na ambição. Ide e vivei a Boa Nova que ilumina e a palavra da fraterna comunhão.
Presidente - Reunidos pela Santíssima Trindade para este encontro fraterno, façamos o sinal de nossa fé. EM NOME DO PAI...
Presidente - O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco. BENDITO SEJA DEUS...

03. DEUS NOS PERDOA
Presidente - Em silêncio, imploremos a misericórdia do Pai, pelas vezes em que não vivemos a justiça do Reino, nos omitindo na promoção da solidariedade, do perdão, da igualdade e na
construção da paz. (pausa) Confiantes na bondade de Deus, peçamos perdão.
Presidente - Tende compaixão de nós, Senhor.
Assembleia - Porque somos pecadores.
Presidente - Manifestai, Senhor, a vossa misericórdia.
Assembleia - E dai-nos a vossa salvação.
Presidente - Deus de amor infinito, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos
conduza à vida plena. AMÉM.
- Senhor, tende piedade de nós. Senhor...
- Cristo, tende piedade de nós. Cristo...
- Senhor, tende piedade de nós. Senhor...

04. ORAÇÃO
Presidente - Ó Deus, com sabedoria governais o céu e a terra. Ajudai-nos a promover a Vossa
justiça e a Vossa paz, a fim de que, Vossa Igreja, possa com mais alegria, proclamar a Vossa glória e servir aos irmãos e irmãs. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. AMÉM.


Animador(a) - A Palavra de Deus nos orienta para vivermos a justiça anunciada e praticada por Jesus. Ouçamos atentos.

05. LEITURA DO LIVRO DO PROFETA ISAÍAS (49,14-15)

06. SALMO RESPONSORIAL (61)
SÓ EM DEUS A MINHA ALMA TEM REPOUSO, SÓ ELE É MEU ROCHEDO E SALVAÇÃO. (bis)
- Só em Deus a minha alma tem repouso, porque dele é que me vem a salvação! Só ele é meu
rochedo e salvação, a fortaleza, onde encontro segurança!
- Só em Deus a minha alma tem repouso, porque dele é que me vem a salvação! Só ele é meu
rochedo e salvação, a fortaleza onde encontro segurança!
- A minha glória e salvação estão em Deus; o meu refúgio e rocha firme é o Senhor! Povo todo, esperai sempre no Senhor, e abri diante dele o coração.

07. LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS (4,1-5)

08. CANTO DE ACLAMAÇÃO
1. Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça. E tudo o mais vos será acrescentado. Aleluia! Aleluia!
2. Não só de pão o homem viverá, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. Aleluia!
Aleluia!
3. Se vos perseguem por causa de mim, não esqueçais o porquê. Não é o servo maior que o Senhor. Aleluia! Aleluia!

09. PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO MATEUS
(6,24-34)

10. PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA
O exílio, a perda da terra e da liberdade são frutos do esquecimento de Deus? O profeta responde que não, argumentando: será que a mãe esquece seu bebê? O profeta Isaías antecipa o retorno dos exilados da Babilônia que chegam de todas as partes a Jerusalém. Há um clima de perseverança, apesar de o povo não acreditar que Deus o haveria de reconduzir à terra. Na lógica humana, o sentido do exilado é, evidentemente, de abandono: “O Senhor me abandonou. O Senhor se esqueceu de seu povo”. No Salmo 61/62, o salmista canta: “Só em Deus a minha alma tem repouso, porque dele é que me vem a salvação!”. Este é um salmo de confiança individual. Vale a pena confiar em Deus a salvação, refúgio e rochedo, pois ele resgata a dignidade da pessoa. As comunidades de Corinto deram muita dor de cabeça a seu fundador, Paulo. Ele foi inclusive mal entendido e caluniado. Vários grupos formaram-se em torno de diversos evangelizadores. Paulo desdenha o fato de os coríntios emitirem juízo a respeito dele, pois sabe que deve prestar contas da administração a seu Senhor. Jesus faz duas advertências: chama atenção dos ricos em face do perigo do dinheiro e dos pobres sobre suas vãs preocupações. Os cidadãos do Reino devem fazer uma opção entre os tesouros efêmeros e os tesouros do céu, entre as trevas e a luz, entre Deus e o dinheiro. Jesus alerta para o poder escravizador que o dinheiro exerce sobre as pessoas. Na opção por Deus ou pelo dinheiro, não há neutralidade nem porcentagem. Deus e o acúmulo de dinheiro são realidades que não combinam. Deus ajuda e liberta; o dinheiro escraviza, atraiçoa e divide. Jesus fala para quem se deixa dominar pelas preocupações com o futuro, a comida e a aparência: “Não fiquem preocupados com a vida, com o que vai comer; nem com o corpo, com o que vestir” (v.25). A palavra de Jesus é advertência e estímulo à confiança na Providência Divina. Deus não abandona seus filhos. “Olhem os pássaros do céu; eles não semeiam, não colhem (...). No entanto, o Pai que está no céu os alimenta.” Vivemos numa sociedade em que, cada vez mais, consumir é a meta fundamental para ser feliz e aparecer na mídia, a glória maior. As pessoas ficam dividas entre seu desejo mais profundo de felicidade e as coisas que o mercado oferece. Jesus nos ensina a mudar o objeto da preocupação e colocar o Reino como valor absoluto. Esse ensinamento de Jesus nem sempre é aceito e tantas vezes, mal entendido. Se em nossas celebrações convivem ricos e miseráveis, famintos e saciados, maltrapilhos e luxo ostensivo, é porque ainda não fizemos a opção pelo Reino e sua justiça, permitindo que a ganância nos possua e domine. Como viver e traduzir a fé e o projeto de Deus na comunidade em que vivemos? Quais as exigências do ser cristão hoje? Essas perguntas merecem uma reflexão profunda e um discernimento lúcido.



11. PROFISSÃO DE FÉ
Presidente - Professemos nossa fé no Deus de toda justiça. CREIO EM DEUS PAI...

12. PRECES DA COMUNIDADE
Presidente - Ao Deus de amor infinito, elevemos nossos pedidos, na certeza de que seremos
atendidos. Após cada prece responderemos: Atendei-nos Senhor, por vosso infinito amor.
- Senhor, ajudai vossa Igreja a seguir os ensinamentos de Jesus, para que tenhamos um mundo mais justo. Nós vos pedimos.
- Senhor, iluminai toda a humanidade para que as conquistas da ciência, a riqueza, o orgulho não diminuam sua fé no Deus Criador de todas as coisas. Nós vos pedimos.
- Senhor, fortalecei-nos para que os problemas do nosso viver não diminua a nossa fé em Vosso projeto de amor. Nós vos pedimos.
Presidente - Rezemos juntos pelas vocações.
Ó Pai, aumentai entre os cristãos, numerosas e santas vocações ao sacerdócio, que mantenham viva a fé e conservem a grata memória do Vosso Filho Jesus pela pregação da Sua Palavra e pela administração dos sacramentos... Fazei, ó Pai, que a Igreja acolha com alegria as numerosas inspirações do Espírito do Vosso Filho e, dóceis aos Seus ensinamentos, cuide das vocações ao ministério sacerdotal e à vida consagrada. Ajudai os bispos, os sacerdotes, os diáconos, as pessoas consagradas e todos os batizados em Cristo para que cumpram fielmente a sua missão no serviço do evangelho. Nós vos pedimos, por Cristo, nosso Senhor. Amém! Maria, Rainha dos Apóstolos, rogai por nós!

13. APRESENTAÇÃO DOS DONS
Animador(a) - Em primeiro lugar, busquem o Reino de Deus e sua justiça, e Ele dará a vocês em acréscimo tudo aquilo que necessitam. Jesus, sem negar a importância da preocupação com a comida, a saúde e a veste, ressalta a solicitude com tudo o que constrói o Reino de Deus.
Animador(a) - Apresentemos ao altar do Senhor, as ações em favor da justiça, solidariedade e da paz em nossa comunidade e na sociedade.
A equipe prepara com antecedência este momento e apresenta com criatividade as ações enquanto se canta.
JESUS CRISTO ANUNCIAVA POR PRIMEIRO UM NOVO REINO DE JUSTIÇA E SEUS VALORES: “VÓS NÃO PODEIS SERVIR A DEUS E AO DINHEIRO E MUITO MENOS AGRADAR A DOIS SENHORES”.
1. Voz de um profeta contra o ídolo e a cobiça: “Endireitai hoje os caminhos do Senhor!” Produzi frutos de partilha e de justiça! Chegou o Reino: Convertei-vos ao amor!

14. CANTO DAS OFERENDAS
(Onde houver Celebração da Palavra)
1. A Ti meu Deus, elevo meu coração, elevo as minhas mãos, meu olhar, minha voz. A Ti meu Deus, eu quero oferecer, meus passos e meu viver, meus caminhos, meu sofrer.
A TUA TERNURA, SENHOR, VEM ME ABRAÇAR! E A TUA BONDADE INFINITA ME PERDOAR! VOU SER O TEU SEGUIDOR E TE DAR O MEU CORAÇÃO. EU QUERO SENTIR O CALOR DE TUAS MÃOS.
2. A Ti meu Deus, que és bom e que tens amor. Aos pobres e ao sofredor, vou servir e esperar. Em Ti, Senhor, humildes se alegrarão. Cantando a nova canção de esperança e de paz.
(Onde houver Celebração Eucarística)
1. Bendito sejais, Senhor. Pelos dons que apresentamos, bendito pelo pão. Bendito pelo vinho.
Bendito sejais, também, pela graça no caminho!
2. Bendito sejais, Senhor, pelos dons que apresentamos, bendito pela fé, bendito pela Igreja, bendito sejais, também, pela força da peleja!
3. Bendito sejais, Senhor, pelos dons que apresentamos, bendito pelo amor, bendito pela vida,
bendito sejais, também, pelas nossas mãos unidas!

15. HINO DO GLÓRIA
Presidente - Glorifiquemos ao Deus Altíssimo por todas as pessoas que promovem a justiça, a
partilha e a paz, rezando o Hino do Glória.
Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por ele amados. Senhor Deus, rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós vos louvamos, nós vos bendizemos, nós vos adoramos, nós vos glorificamos, nós vos damos graças por Vossa imensa glória. Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só Vós sois o Santo, só Vós, o Senhor, só Vós, o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.



16. PAI NOSSO
Presidente - O Reino é dom e exigência. A cada encontro celebrativo clamamos confiantes:
“Venha a nós o Vosso Reino.” Rezemos de mãos dadas a oração que Jesus nos ensinou. PAI
NOSSO...

17. ABRAÇO DA PAZ
Animador(a) - Em comunhão com as pessoas empenhadas na construção da nova sociedade,
fundada nos valores do Reino: partilha, respeito pela cultura, diálogo com o diferente, justiça e paz, saudemo-nos com um gesto fraterno. (canto à escolha)

18. CANTO DE COMUNHÃO (se houver)
1. O meu Reino tem muito a dizer não se faz como quem procurou aumentar os celeiros bem mais e sorriu. Insensato, que vale tais bens, se hoje mesmo terás o teu fim? Que tesouros tu tens pra levar além?
SIM, SENHOR, NOSSAS MÃOS VÃO PLANTAR O TEU REINO! O TEU PÃO VAI NOS DAR TEU VIGOR, TUA PAZ!
2. O meu Reino se faz bem assim se uma ceia quiseres propor, não convides amigos, irmãos e
outros mais. Sai à rua a procura de quem não puder recompensa te dar, que o teu gesto lembrado será por Deus.
3. O meu Reino quem vai compreender? Não se perde na pressa que têm sacerdote e levita que vão sem cuidar. Mas se mostra em quem não se contêm, se aproxima e procura o melhor para o irmão agredido que viu no chão.
4. O meu Reino não pode aceitar quem se julga maior que os demais por cumprir os preceitos da lei, um a um. A humildade de quem vai além e se empenha e procura o perdão é o terreno onde pode brotar a paz.
5. O meu Reino é um apelo que vem transformar as razões de viver que te faz desatar tantos nós que ainda tens. Dizer sim é saberes repor tudo quanto prejuízo causou dar as mãos, repartir, acolher, servir!

19. ORAÇÃO
Presidente - Senhor Deus, autor da vida, alimentados pela Vossa Palavra (e pela Comunhão) nos sentimos fortalecidos para lutar por uma sociedade onde todos possam viver como irmãos, sem qualquer tipo de discriminação e, um dia, possamos participar das alegrias na vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor. AMÉM.



20. NOTÍCIAS E AVISOS
- Estamos nos aproximando do Tempo da Quaresma e da Campanha da Fraternidade.
Procurem preparar bem as celebrações, ensaiar os cantos com antecedência, valorizar os
símbolos sugeridos.
- Este folheto não deve ser jogado em via pública e/ou no lixo. Recicle-o!

21. BÊNÇÃO
Presidente - A paz de Deus, que supera todo entendimento, guarde os vossos corações e vossas mentes no conhecimento e no amor de Deus, e de Seu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. AMÉM.
- A bênção do Deus Altíssimo, Pai e Filho e Espírito Santo, desça sobre vós e permaneça para
sempre. AMÉM.
- Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. GRAÇAS A DEUS.

22. CANTO FINAL
FELIZ DE QUEM CAMINHA, TENDO DEUS NO CORAÇÃO, QUEM FAZ DA SUA VIDA, UMA ETERNA PROCISSÃO. (bis)
1. Escolhi o Cristo como companhia, escolhi o Reino, como vocação, escolhi o mundo, como
moradia, escolhi o pobre como meu irmão.
2. Quero ver o mundo, com o teu olhar, e a dor da vida, com teu coração. Vou levar ajuda a quem precisar, vou cantar a vida como uma canção.



Buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça





Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa