terça-feira, 19 de abril de 2011

Vida de Esperança


Por: DOM PAULO MENDES PEIXOTO 
BISPO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP
www.bispado.org.br


A quaresma condiciona a vida de esperança para quem segue as propostas oferecidas pela liturgia, principalmente pelas leituras bíblicas. Tudo isto acompanha o trajeto dos quarenta dias de preparação para a Páscoa do Senhor, e nossa Páscoa.

Estar em situação de sofrimento, seja físico, psicológico e espiritual, pode ser falta de liberdade e de condições para uma vida de alegria e realização plena. O processo quaresmal deve atingir todas as realidades que exigem das pessoas a conversão.
O coração humano deve ser revigorado, encontrando em Jesus Cristo as motivações fundamentais da situação de esperança. A vida nova e ressuscitada vem da fé na ação de Cristo, que habita em cada pessoa e suscita sentido novo aos mortais.

A vitória da vida sobre a morte é um dom de Deus, que transforma, reanima, fortalece e dá esperança concreta. Tira a pessoa de profundas crises e desânimos. É como um novo êxodo, uma saída de situações de escravidão diante dos condicionamentos.

É necessário buscar o caminho da dignidade e da liberdade, vencendo as causas de todos os males na sociedade. Significa não pensar só em ressurreição futura, mas no hoje concreto da vida. É sair do medo, da acomodação, do egoísmo e da tristeza.

Quase sempre as pessoas estão mergulhadas nas amarras do sistema que oprime e mata. Isto impossibilita a saída da indignidade e do flagelo da submissão ao sistema opressor. Alguma coisa precisa ser vencida para um novo norteamento de vida.

A vivência da Páscoa é uma opção fundamental que passa pelos caminhos da quaresma, de resignação, de superação daquilo que mata o corpo e a alma. Nas palavras de Cristo, ninguém pode servir a dois senhores, ou à carne, ou ao Espírito.

A esperança significa liberdade porque Cristo nos libertou da escravidão das obras dos instintos egoístas. Entre elas está a impureza, libertinagem, ódio, rixas, ciúmes, discórdia, divisões, bebedeiras etc. 

A vida de esperança é própria de vida ressuscitada, vida pascal, com possibilidade de praticar o bem, o amor, a alegria, a paz, a benignidade etc.


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa