quarta-feira, 17 de julho de 2013

Semana Missionária

E-mailImprimirPDF
Dom Orani João Tempesta 
Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)
A JMJ Rio 2013 bate à nossa porta e é precedida pela Semana Missionária, que será realizada em todas as 275 circunscrições eclesiásticas brasileiras.

A Semana Missionária é a forma especial de a Igreja no Brasil viver o programa "Dias nas Dioceses"; será realizada uma semana antes da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) como forma de preparação para a chegada desse grande evento.
A Semana Missionária proporciona aos jovens peregrinos a possibilidade de conhecer a nossa vivência cristã, nosso trabalho social, cultural, trocar experiências e enriquecer a fé, conhecendo os costumes locais das outras circunscrições eclesiásticas que não a da nossa Arquidiocese. Os peregrinos, de uma forma bem especial, estarão sendo acolhidos em um lar por famílias hospitaleiras, calorosas e com afinidades nos valores cristãos e princípios éticos.
Nesse momento de preparação para a Jornada Mundial da Juventude, os jovens estrangeiros poderão deixar sua contribuição na igreja local para o processo evangelizador da juventude, além de participar de toda a programação preparada pela Diocese em que está peregrinando.
Porém, a Semana acontece em todas as dioceses, independentemente se terão presenças de peregrinos do exterior ou não. É um tempo em que os jovens viverão a “missão permanente” anunciada na V Conferência do Episcopado Latino Americano e Caribenho.
Os dias anteriores à Jornada Mundial da Juventude oferecem aos jovens vindos de fora do Brasil a possibilidade de passar um tempo de convivência com outros jovens brasileiros, em preparação à JMJ. São os até então conhecidos "Dias nas Dioceses" ou, simplesmente, "pré-Jornadas". No Brasil, o Pontifício Conselho para os Leigos (organismo do Vaticano responsável pela realização da JMJ) acolheu a nossa sugestão em conjunto com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para que esses dias que antecedem a JMJ recebam o nome de "Semana Missionária". Esta é outra novidade desta JMJ Rio 2013. As Pré-Jornadas começaram em 1997. Por causa da JMJ de Paris, a Igreja na França promoveu esses encontros como um modo de facilitar a pastoral juvenil das dioceses francesas, de conseguir que a França inteira acolhesse os peregrinos vindos de outros países e de animar os jovens a participarem da JMJ. A experiência foi tão boa e significativa que foi adotada também nas JMJs seguintes da Itália, Canadá, Alemanha, Austrália e Espanha. Nesses países, as Pré-Jornadas incluíram atividades muito diversas: encontros com jovens e as famílias, concertos, vigílias de oração, trabalhos sociais para a comunidade ou os menos favorecidos etc.
A Semana Missionária tem uma programação que varia de diocese a diocese e integra atividades culturais, visitas históricas e momentos de festa, bem como tempos de oração e celebração nos santuários e locais de peregrinação que formam parte da identidade religiosa local.
É claro que em cada Diocese a Semana Missionária será vivida de uma maneira diferente, rica e multicultural. Os objetivos da Semana Missionária são muito parecidos com os da JMJ: primeiro um encontro pessoal com Cristo, que muda a vida e enche-a de alegria, especialmente nos sacramentos da Eucaristia e da Reconciliação. Uma rica experiência vital da universalidade da Igreja Católica como comunhão e da paternidade espiritual do Papa. Um grande redescobrimento da vocação batismal à santidade, chamando os jovens peregrinos a ser membros ativos da Igreja, responsáveis pela nova evangelização do mundo contemporâneo. De acordo com esses objetivos, a programação de atividades integra distintos tipos de eventos. Em primeiro lugar e principal: a oração: que os jovens tenham a oportunidade de participar da Eucaristia e de dedicar tempo à oração pessoal; a solidariedade: que pratiquem sua generosidade e sua responsabilidade social, dedicando algumas horas a ajudar em algum trabalho da Igreja com os necessitados, ou a contribuir com a solução de algum problema social, de acordo com as autoridades locais; a cultura: que conheçam as raízes cristãs de tantas manifestações da cultura ("a fé feita cultura", nas palavras de João Paulo II), e que produzam em seu conhecimento da fé, através de tantas manifestações das artes cristãs: ver como as gerações precedentes de cristãos evangelizaram pela arte. Aqui mesmo no Rio de Janeiro, nesta semana, inauguramos a bela mostra no museu nacional de Belas Artes – “A herança do sagrado”.
Aproveitemos a Semana Missionária para reafirmar o nosso compromisso com a transmissão da fé católica a todos. O Papa Francisco, na sua primeira encíclica diz que: "...a fé tem necessidade de um âmbito onde se possa testemunhar e comunicar, e que o mesmo seja adequado e proporcionado ao que se comunica" (LF 40). Testemunhemos, pela acolhida dos jovens peregrinos, a nossa fé e não tenhamos medo de abrir nossos corações para sermos anunciadores do Redentor! Será uma bela revolução para nossa mentalidade de “medo do outro” essa abertura ao peregrino, acolhendo-o como membro de nossa própria família.
Como Igreja viva, o povo de Deus se identifica com o projeto da Semana Missionária e acolhe de braços abertos os peregrinos do mundo inteiro que se propuserem a conhecer uma igreja com desafios e grandes alegrias. Sejam bem vindos!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa