segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Setembro, mês de refontalização bíblica

ImprimirPDF


Dom Roberto Francisco Ferreria Paz
Bispo da diocese de Campos (RJ)
Todos os anos a Igreja Católica que peregrina no Brasil, no mês de Setembro, assume o desafio e a inspiração de estudar um livro da Bíblia, e assim incentivar a leitura das Sagradas Escrituras. Este ano visando o crescimento da fé, vamos nos adentrar na Primeira Carta de Pedro para nela encontrar “as razões da nossa esperança”. Esta prática salutar e sábia nos leva a destacar a Bíblia como fonte da espiritualidade cristã, da catequese, do ensino, e da própria missão de testemunhar a Cristo.

Um cristão que não lê a Bíblia e a põe em prática, é como aquele homem que se olha no espelho e não se reconhece, afirma o Apóstolo Tiago. É importante frisar que a Bíblia mais que uma coleção de livros é uma pessoa, que nos fala, nos interpela e nos instrui: o Senhor Jesus Cristo que é o esperado no Primeiro Testamento e revelado plenamente no Novo. Somos um povo que caminha sob a luz e a bússola da Palavra de Deus, norma não normada, a qual deve se ajustar a nossa vida e trabalho.
Bíblia que tem sua casa; a Igreja e por isso, é lida em comunidade e sempre em sintonia com o Magistério.A comunidade eclesial é constantemente reinventada e edificada pela Palavra de Deus, e a animação bíblica de toda pastoral, deve conduzir e iluminar as práticas, atividades e projetos, de todos os grupos, serviços e associações eclesiais. Nossa espiritualidade se fundamenta e se alicerça na leitura orante do Texto Sagrado, pois, a partir desta conexão profunda com a Palavra, nossa vida é transformada, nosso coração é convertido e nosso agir se configura cada vez mais com a mensagem e vida do Mestre Divino.
Para finalizar, é de suma relevância insistir que não haverá Nova Evangelização ou uma Igreja em estado permanente de missão, se não nos deixarmos guiar, alimentar e converter pela Palavra de Vida Eterna, pela Sabedoria Divina que encontramos na Bíblia Sagrada, pois, como afirma São Jerônimo, desconhecer a Bíblia é ignorar o próprio Cristo. Deus seja louvado!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa