quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Curso de Pós-graduação em Pedagogia Bíblica visa formação teológica científica

ImprimirPDF
rolo






A Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, a Pontifícia Universidade Católica de Goiás e a Pastoral da Educação da diocese de Goiás oferecem o curso de Pós-graduação em Pedagogia Bíblica: Animação Bíblica da Pastoral, para interessados que possuam graduação, bacharelado, licenciatura ou que seja tecnólogo em conhecimento bíblico básico. O primeiro módulo tem início no dia 20 de janeiro de 2014.

O curso objetiva aperfeiçoar a prática pedagógica, incentivar a pesquisa e a produção bíblica, favorecer a animação bíblica da Pastoral, capacitar pessoas para a animação bíblica com formação teológica científica, aprofundar a metodologia de leitura e interpretação hermenêutica da Escritura e possibilitar o diálogo ecumênico, inter-religioso e inter-cultural. A pós-graduação tem duração de dois anos (380 horas), sendo nove dias de aulas presenciais em janeiro e julho. As aulas acontecerão no Centro Diocesano de Pastoral Luís Ório, na Cidade de Goiás (GO).
O prazo de inscrição vai até 18 de novembro. Informações: (62) 3371-3394 ou pelos e-mails:marlievang@hotmail.com e diocesedegoias@cultura.com.br

Um comentário :

  1. A graça de Deus, em Jesus Cristo é fonte de água viva e eterna.
    Venha nos visitar.
    http://botefeamor.blogspot.com.br/
    Abraços Fraternos

    ResponderExcluir

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa