sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Um filho pergunta à mãe:

- Mãe posso ir ao hospital ver meu amigo? Ele está doente!
- Claro, mas o que ele tem? O filho, com a cabeça baixa, diz:
-Tumor no cérebro. A mãe, furiosa, diz: - E você quer ir lá para quê?Vê-lo morrer? O filho lhe dá as costas e vai... Horas depois ele volta vermelho de tanto chorar, dizendo:
 - Ai mãe foi tão horrível, ele morreu na minha frente!
A mãe, com raiva:
- E agora?! Ta feliz?! Valeu à pena ter visto aquela cena?!
Uma última lágrima cai de seus olhos e, acompanhado de um sorriso, ele diz:
- Muito, pois cheguei a tempo de vê-lo sorrir e dizer:
 “- EU TINHA CERTEZA QUE VOCÊ VINHA!"

Moral da história: A amizade não se resume só em horas boas, alegria e festa. Amigo é para todas as horas, boas ou ruins, tristes ou alegres.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa