quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

O que é Dízimo?




 Dízimo é o ato de gratidão a Deus, do qual recebemos tudo o que temos. É devolução a Ele de um pouco do que dele recebemos, por meio da Igreja, para que seu Reino aconteça entre nós. É manifestação de nosso amor a Deus e aos irmãos. É partilha dos bens que estão a nosso dispor, especialmente com os mais necessitados.

Todos devem contribuir com o Dízimo?

Sim! O oferecimento do Dízimo nasce do coração de cada cristão participante em sua comunidade. O cristão esclarecido, em espírito de oração, fará a Deus a sua promessa, o seu voto de ofertar o Dízimo. É um ato de Amor a Deus e aos irmãos.

Quanto se deve dar de Dízimo?

Dízimo é uma questão de generosidade. ''Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama quem dá com alegria'' (2 Cor. 9,7).

O dizimista deve sentir-se livre perante Deus ao fixar o percentual de sua contribuição. Não deve se preocupar com o que sei do seu bolso (se muito ou pouco dinheiro), mas com o que sai de seu coração (se pouco ou muito amor a Deus e à Comunidade).

Alguém da comunidade está dispensado de contribuir com o Dízimo?

Todas as pessoas que participam de alguma pastoral, movimento ou ministério devem oferecer o seu Dízimo. O padre deve ser um motivador do Dízimo, por isso também deve ser um dizimista. É bom lembrar que a contribuição para movimentos e ajudas diversas não substitui o Dízimo.

O Dízimo deve ser mensal?

Sim! O Dízimo deve ser levado à comunidade, mensalmente, pois os ganhos do dizimista são mensais e as necessidades da comunidade também.

Onde é aplicado o Dízimo?

É bom saber que o Dízimo tem destino certo. Ele é direcionado para seis dimensões da obra evangelizadora. A primeira é a dimensão Litúrgica, nas despesas com culto (toalhas, velas, flores, folhas de canto, luz, água, vinho, hóstias...). A segunda é a dimensão Pastoral, despesas com as pastorais (catequese, roteiros, livros, cartazes...). A terceira é a dimensão Comunitária(remuneração dos padres, dos funcionários, manutenção da igreja, da casa paroquial, da secretaria...). A quarta dimensão é a Social (promoção humana e social, pobres, idosos, crianças, dependentes químicos...). A quinta dimensão é a Missionária (colaboração com as paróquias pobres da diocese de outras dioceses, com as missões...). A sexta dimensão é a Vocacional (formação de lideranças, novos padres, ministros, catequistas...).

O Dízimo é expressão de generosidade?

O Dízimo, dado com amor, faz-nos mais generosos e agrada a Deus. Faz-nos mais desapegados dos bens terrenos; faz-nos menos egoístas. É um caminho de conversão. Faz-nos lembrar, todo mês, do Autor da Vida, do Criador do Universo. Deus, que prometeu que não ficaria sem recompensa um só copo de água fresca, dado a um pequenino (Mt. 10,42), não se deixará vencer em generosidade para conosco. Só é dizimista de verdade quem acredita na Palavra de Deus.

Quais os efeitos produzidos pela partilha do Dízimo? 

Com certeza, com a oferta do Dízimo haverá um maior entendimento da palavra de Deus. Uma descoberta de que o Dízimo é uma ato de louvor, um compromisso com Deus, com a Igreja e com os pobres. Crescerá a alegria do coração e as bênçãos de Deus virão com certeza sobre o dizimista.
O dizimista participa de toda a ação evangelizadora que a Igreja realiza.
O Dízimo está na Bíblia?
Sim, o Dízimo é Bíblico. São muitos os textos onde se percebe que o Dízimo é uma recomendação Bíblica. Confira algumas citações do Antigo e do Novo Testamento: Gn 14,20; Ml 3,8-10; Lv 27,32; Gn 28,22; Ex 22,28; 2 Cor 9,6-12; At 4,32; Mt 23,23.

O Dízimo no Antigo Testamento

No Antigo Testamento, o Dízimo é entendido como a décima parte dos bens recolhidos a Javé:
''Em todo o dízimo de gado graúdo ou miúdo, a décima parte de tudo o que passa sob o cajado do pastor é coisa consagrada a Javé''. (Lv 27,32).
No livro do Gênesis encontramos a primeira referência bíblica ao Dízimo: ''E Abrão lhe deu o dízimo de tudo''. (Gn 14,20).
O Profeta Malaquias tem uma esclarecedora página sobre o Dízimo: ''Tragam o dízimo. Façam essa experiência comigo. Vocês vão ver se não abro as comportas do céu, se não derramo sobre vocês as minhas bênçãos de fartura'' (Ml 3,8).

O Dízimo no Novo Testamento

No Novo Testamento o Dízimo está na linha da coerência de vida e na direção da justiça, da misericórdia e da caridade.
São Paulo lembra que:
''Dê cada uma conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama o que dá com alegria.''
Continua São Paulo:
''Poderoso é Deus para cumular-vos com toda a espécie de benefícios, para que tendo sempre e em todas as coisas o necessário, vos sobre ainda muito para toda a espécie de boas obras. Como está escrito: espalhou, deu aos pobres, a sua justiça subsiste para sempre''. (2 Cor 9,7-10)
Ler outros textos, como: Hb 7,4-5; At 4,34-35.

Como Fazer?

Após a leitura, procure fazer uma meditação, uma oração, uma reflexão profunda e perceba como você está assumindo o Dízimo. Procure conhecer a Pastoral do Dízimo do Santuário e inscreva-se como dizimista. Com o Dízimo de cada um, toda a Comunidade será beneficiada e estará caminhando conforme a Palavra de Deus. E, assim, a comunidade dos fiéis será um só coração e uma só alma (cf At 4,32).


10 - RAZÕES PARA SER DIZIMISTA

01 - O dízimo é uma profunda relação entre você e Deus.
02 - A oferta do dízimo é o reconhecimento dos dons gratuitos recebidos de Deus Pai, retribuindo, de forma justa, parte do que d’Ele você recebeu.
03 - Seu dízimo ajuda a manter a comunidade religiosa, patrimônio de todos .
04 - O dízimo mantém, também, os que vivem para o Evangelho.
05 - O dízimo que você oferece vai se transformar em Evangelho, em remédio,em pão, em missão.
06 - Sua alegria será, extremamente, grande, quando você verificar, daqui a algum tempo, o que ,com o seu dízimo , se tornou possível.
07 - Em vez de obrigação, você vai se sentir grato e agradecido a Deus por lhe dar condições de participar da vida paroquial com seu dízimo.
08 - A prática do dízimo integra, cada vez mais, a pessoa à comunidade.
09 - A sua oferta permanente tornará vitoriosa a Pastoral do Dízimo.
10 - Com a oferta do dízimo, você será participante ativo na construção do Reino de Deus.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa