quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Casas geminadas: pelo direito de todos à casa própria


E-mailImprimirPDF

Dom Anuar Battisti

Arcebispo de Maringá - PR

A profecia de Isaías previa um novo céu e uma nova terra, onde todos viveriam com alegria e em paz. Profetizava Isaías: "Construirão casas e nelas habitarão, plantarão vinhas e comerão seus frutos. Ninguém construirá para outro morar, ninguém plantará para outro comer, porque a vida do meu povo será longa como a das árvores, meus escolhidos poderão gastar o que suas mãos fabricarem. Ninguém trabalhará inutilmente, ninguém gerará filhos para morrerem antes do tempo, porque todos serão a descendência dos abençoados de Javé, juntame nte com seus filhos" (Is 65,21-23).

É claro que ainda falta muito para o pleno cumprimento dessa profecia, mas cabe a nós ajudarmos para que ela se torne realidade e não a dificultarmos. De todas as coisas que se pode possuir, a casa própria é dos bens mais importantes. Como é fundamental ter a sua própria casa e poder morar nela. Isso dá estabilidade à família, dá a condição de melhorar o relacionamento, dá segurança para tratar bem todas as outras coisas da vida. Como é triste viver sem ter o seu lugar, sem saber para onde se precisará ir em qualquer eventualidade.
No Brasil, e em Maringá, muitos não têm a casa própria ainda. Sabemos que o dinheiro do aluguel só vai e não volta. Os últimos programas de financiamento têm facilitado para que isso aconteça. Ter a casa própria é um direito do povo que os governantes precisam garantir, principalmente para os mais pobres. Ao que parece, as casas ditas "geminadas" tem garantido para muitos o acesso à casa própria. E isso não deveria ser dificultado como vem acontecendo em Maringá, com a exigência de um cadastro para os terrenos menores de 399 m².
Os terrenos antigos menores de 399 m² são a opção mais barata de se ter a casa própria em Maringá. E se a Caixa Econômica Federal, com seus critérios e exigências para todo o Brasil, aprova esse tipo de financiamento em todas as cidades é porque ele é viável também para Maringá. Dessa forma, não se deveria dificultá-lo com a exigência do cadastro. Já são tantas as exigências, e é claro que se deve planejar bem a cidade, mas isso parece desnecessário. Se os motivos para isso estão ligados à construção e venda de apartamentos, é claro que há espaço para todos em Maringá, também para as casas geminadas.
Percebemos uma grande mobilização na sociedade, inclusive com o apoio da maioria dos padres e paróquias. Isso é muito positivo. O novo céu e a nova terra, profetizados por Isaías, acontecem mais rápido quando a sociedade se organiza, participa, cumpre com seus deveres e luta por seus direitos. Que esse clamor do povo seja ouvido. E que de fato chegue logo o tempo em que todos possam ter a sua própria casa.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa