segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Mudanças na Cúria Romana

ImprimirPDF
Curia Romana 3





O papa Francisco fez neste sábado, 21 de setembro,  algumas alterações na cúria romana.
O pontífice aceitou o pedido de renúncia, por limite de idade, do cardeal Manuel Monteiro de Castro como penitenciário-mor e nomeou como seu sucessor o cardeal Mauro Piacenza, até então prefeito da Congregação para o Clero;

Na Congregação para a Doutrina da Fé: confirmou como prefeito Dom Gerhard Ludwig Müller; como secretário dom Luis Francisco Ladaria Ferrer; e nomeou secretário adjunto dom Joseph Augustine Di Noia, até então vice-presidente da Pontifícia Comissão «Ecclesia Dei»; confirmou ainda os membros e os consultores, nomeando como novo consultor dom Giuseppe Sciacca, secretário adjunto do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica;
Na Congregação para a Evangelização dos Povos: confirmou como prefeito o cardeal Fernando Filoni; como secretário Dom Savio Hon Tai-Fai; como secretário adjunto dom Protase Rugambwa; e todos os membros e consultores do Dicastério;
Na Congregação para o Clero: nomeou como prefeito o arcebispo Dom Beniamino Stella, até então presidente da Pontifícia Academia Eclesiástica; confirmou como secretário dom Celso Morga Iruzubieta; e nomeou como secretário para os Seminários dom Jorge Carlos Patrón Wong, elevando-o à dignidade de arcebispo;
Na Administração do Patrimônio da Sé Apostólica: nomeou delegado da Seção Ordinária o Mons. Mauro Rivella, do clero da arquidiocese de Turim.
O Santo Padre nomeou núncio apostólico na Alemanha dom Nikola Eterovic, até então secretário geral do Sínodo dos Bispos, e chamou para suceder-lhe no mesmo cargo dom Lorenzo Baldisseri, até então secretário da Congregação para os Bispos.
O papa Francisco nomeou ainda como núncio apostólico em Serra Leoa dom Miroslaw Adamczyk, até então núncio na Libéria e Gâmbia.
Por fim, o pontífice nomeou como núncio apostólico e presidente da Pontifícia Academia Eclesiástica o Mons. Giampiero Gloder, Conselheiro de Nunciatura, elevando-o a dignidade de arcebispo.
Fonte: Rádio Vaticano

Um comentário :

  1. “Perseverar na oração” (At 1,14)
    Venha nos visitar:
    http://botefeamor.blogspot.com.br/
    Abraços Fraternos

    ResponderExcluir

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa