terça-feira, 1 de outubro de 2013

Realizado 11º Encontro Nacional da Pastoral Brasileira nos EUA

ImprimirPDF
PBE




Entre os dias 22 e 26 de setembro, aconteceu na cidade de Newark, próxima a Nova Iorque, o 11º Encontro Nacional da Pastoral Brasileira nos Estados Unidos (EUA). O lema do evento foi: “Progredindo na vida e na fé sob a luz do Concílio Vaticano II”. O objetivo da reunião era promover a troca de experiência, e discutir a situação da atuação, na Igreja, dos migrantes nos Estados Unidos.

O bispo de Caxias do Sul (RS) e responsável pela Pastoral dos Brasileiros no Exterior (PBE), dom Alessandro Ruffinoni, representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), visitou os missionários brasileiros que trabalham nos USA com comunidades brasileiras. Estavam presentes, o bispo auxiliar da arquidiocese de Newark, responsável pelos migrantes brasileiros nos EUA, dom Edgar da Cunha.
Além dos bispos, estiveram no encontro, 54 missionários entre padres, irmãs e leigos. Entre os padres, uns eram diocesanos enviados pela PBE e outros eram religiosos de diferentes congregações. Os leigos e leigas, presentes, são pessoas que já moram nos EUA e que auxiliam os padres nas comunidades.
O animador do encontro foi o padre Clement Krug. O tema central foi sobre planejamento estratégico, apresentado pela irmã Isaura Paviani. “A irmã nos ajudou a pensar melhor sobre a nossa maneira de trabalhar definindo bem qual é a nossa missão como Igreja junto aos migrantes, qual o caminho que queremos seguir e quais as estratégias para atingir este objetivo”, avaliou dom Ruffinoni.
Entre as reflexões da reunião foi visto que as dificuldades que os missionários encontram no seu trabalho é a dispersão dos migrantes em diferentes lugares, distantes entre si. Outra questão vista, foi a dificuldade do pouco tempo que os migrantes têm disponível para trabalhar e, às vezes, a falta de estruturas (capelas e salão) para realizarem os encontros.
Dom Ruffinoni ainda revela ter tido uma experiência desagradável no aeroporto do país. “Passei por uma situação que muitos migrantes encontram. Fui levado a uma sala a parte para conferir melhor os meus documentos”, conta. Mas para o bispo, a visita, a viagem e o encontro foram grandes oportunidade. “O mais importante foi o encontro dos missionários e missionárias, a troca de experiências e o desejo de continuar trabalhando sem desanimar. Voltei com o coração motivado em procurar mais padres que queiram ser missionários com os migrantes”, declarou o bispo.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa