quinta-feira, 12 de agosto de 2010

PREPARANDO UM ENCONTRO DE CATEQUESE

O Encontro deve ser bem preparado:
• constar de uma programação;
• ter um plano => determinar o objetivo e a atitude interior;
• trazer o material necessário; e
• estudar, pesquisar, meditar, confrontar com a vida.






TRÊS MOMENTOS SIGNIFICATIVOS:

1º - ANTES DO ENCONTRO:

PLANEJAR – INTIMIDADE COM O CONTEÚDO.
 Ler e estudar o texto bíblico;
 Definir as prioridades e o que é secundário;
 Adequar a linguagem e a mensagem à realidade do catequizando;
 Pesquisar músicas, textos, filmes, dinâmicas que auxiliem na comunicação da fé;
 Programar o encontro, distribuindo o tempo para atividade;
 Preparar os materiais e o ambiente, antes da chegada dos catequizandos.

Importa não improvisar. Prever é buscar a melhor forma para realizar o encontro de catequese. Os catequizandos percebem quando o encontro foi preparado com amor e dedicação.

2º - DURANTE O ENCONTRO:

Apresentar o conteúdo permitindo espaço para intervenções e contribuições dos catequizandos.

Para o Encontro de catequese é importante:
Disciplina – se estabelece com amor e competência;
Segurança – o catequista precisa estar envolvido pela mensagem que transmite;
Valorização – valorizar o que for positivo, sem esquecer de corrigir o que não está correto;
Perguntas – claras, objetivas e que conduzam à reflexão.

3º - DEPOIS DO ENCONTRO:

 Provocar no catequizando uma reação, vivência do que foi transmitido no encontro. O encontro catequético é eficaz quando torna-se fonte de vida cristã.
 Avaliar a ação catequética para a correção daquilo que não foi satisfatório.
(o que houve de positivo, o que precisa melhorar; como foi o desenovlimento do encontro, a participação dos catequizandos, a convicção e o preparo do catequista,...).

IV – PASSOS DE UM ENCONTRO

Diz o Papa João Paulo II no documento Catechesi Tradendae número 5, que “a finalidade da catequese é a de fazer com que alguém se ponha, não apenas em contato, mas em comunhão, em intimidade com Jesus Cristo”. Tendo em vista esta finalidade, é importante que o catequista desenvolva com segurança, entusiasmo e convicção os passos do encontro, a fim de que este seja um bom instrumento para facilitar a experiência de Deus que o catequizando deve fazer. Por isso, devemos estar atentos a alguns elementos importantes:

 Incentivo – recurso ou procedimento que desperte em cada catequizando o motivo para a ação catequética;
 Palestra – desenvolvimento do tema, levando à participação e procurando despertar e manter a atenção do grupo. Não esquecer que todo encontro deve incluir um texto bíblico como fundamentação e iluminação do tema central. Atenção ao vocabulário que pode ser simples e profundo. Jamais vulgar, agressivo e grosseiro. Devemos fazer com que as idéias essenciais sejam memorizadas, isto é, guardadas no coração como a pérola preciosa de que fala o Evangelho.
 Oração – é o ponto alto do Encontro. A catequese deve sempre despertar o aspecto celebrativo da fé.
 Atividade prática:
- na comunidade (visitas, retiros, mutirões, campanhas ... )
- no grupo ( dramatizações, jogos, música)
- individual (orações, trabalhos escritos, desenhos... )
 Proposta de ação – fornecer pistas para despertar as atitudes de vida fraterna. É sempre bom sugerir um gesto concreto para a vivência do tema.
 Recursos – são instrumentos que nos ajudam na motivação e exploração dos conteúdos (flanelógrafo, vídeo ...). Devemos usar adequadamente a voz e o material didático.

V – CONCLUSÃO

Como se vê, “aquele que apresenta a Boa Nova deve possibilitar a condição favorável ao encontro com o Deus vivo. A catequese segue-se à metanóia, à conversão. Que fazer para promover a mudança de mentalidade, sem a qual a catequese não atinge plenamente sua finalidade? A verdade só se revela inteira ao homem inteiro. A instrução religiosa é um dos aspectos, o mais importante, os outros porém não podem faltar: a pedagogia que leva em conta as diferentes idades e o grau de instrução; os métodos que se renovam para facilitar o aprendizado sem empobrecer ou alterar o conteúdo; a realidade sócio-econômica, os tempos, os lugares e a cultura” (Me. Ma. Helena Cavalcanti).
Deve-se prestar atenção ao tempo do encontro, de modo a ser o mais adequado possível ao grupo e bem aproveitado. Também, durante o encontro é preciso insistir na idéia-chave, retomando-a de várias maneiras (através da palestra, de uma música, da dramatização, da atividade em grupo ou individual). O documento Catequese Renovada, em seu número 129, afirma que “sempre mais se impõe uma educação permanente da fé que acompanhe o homem por toda a vida e se integre no seu crescimento global.”

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa