sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Bolo de casca de maçã

Não desperdice a casca nessa receita

Por Minha Vida Publicado em 5/11/2009

Ingredientes
1 xícara (chá) de uvas passas pretas
1 ½ xícara (chá) de vinho tinto
4 ovos

1 xícara (chá) de óleo casca de 2 maçãs
2 maçãs, em cubinhos
1 ½ xícara (chá) de açúcar
1 pacote de biscoito tipo maizena (200g)
1 colher (sobremesa) de canela em pó
1 colher (chá) de fermento em pó
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de nozes, picadas

Para acompanhar
1 pacote de tortinhas sabor chocolate branco (160g) sorvete de creme

Modo de preparo
Deixe as uvas passas de molho no vinho por 3 horas. Bata no liquidificador os ovos, o óleo, o açúcar, as cascas de maça e reserve. Leve ao processador o biscoito tipo maizena e bata até obter uma farofa. Numa tigela grande, coloque a farinha de trigo, o fermento, a farofa de biscoito tipo maizena, as maçãs, a canela e mexa bem. Acrescente a mistura do liquidificador, as nozes, as uvas passas e mexa até envolver bem todos os ingredientes. Unte com manteiga ou margarina polvilhada com farinha de trigo uma forma com cone central, acomode a massa e leve ao forno pré-aquecido 180ºC por 40 minutos. Leve ao processador as tortinhas sabor chocolate branco e bata até obter uma farofa. Retire o bolo do forno, desinforme, peneire açúcar e canela por cima e sirva quente com sorvete de creme e farofa de tortinhas sabor chocolate branco.

Receita cedida pela Cozinha Experimental Adria  

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa