terça-feira, 7 de setembro de 2010

Sanduíche de pizza

Transforme a paixão nacional em um lanche perfeito para qualquer situação
Ingredientes para a massa:
1 kg de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de azeite
1 colher (café) de açúcar
1 colher (café) de sal
1 ovo

40 gr de fermento biológico fresco
Àgua

Ingredientes para o recheio:
1 cebola em rodelas
3 ovos cozido em rodelas
3 tomates em rodelas
Orégano

300 gr de mussarela fatiada
300 gr de presunto sem capa de gordura fatiado Alface crespa

Modo de preparo da massa:
Dissolva o fermento em água quente; coloque farinha de trigo em uma tigela, faça uma cova no meio e despeje o fermento dissolvido, sal e ovo, misture tudo muito bem, sove a massa e deixe descansar por meia hora. Divida em 8 porções, forme as bolinhas arrumando em tabuleiro polvilhado com farinha, polvilhe mais farinha e deixe descansar por 30 minutos coberta com pano.

Montagem:
Polvilhe farinha de trigo sobre uma superfície lisa, abra os discos de massa com o rolo, com a ponta do garfo fure a massa levemente, pincele azeite e leve ao forno para pré-assar. Retire do forno, coloque tomates em rodelas, mussarela, cebola picada, orégano, ovos cozidos e presunto, cubra com outro disco de massa e leve para assar mais um pouco. Enfeite com alface crespa.

Rendimento: 4 Sanduíches de Pizza.

Receita cedida pelo site Rudge SBC

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa