sábado, 30 de outubro de 2010

Linha do Tempo

ABRAÃO   MOISÉS     JOSUÉ   JUÍZES      SAMUEL        SAUL     DAVI
(Gn 12,1-25,8)
CISMA       EXÍLIO        EXÍLIO           CIRO          NEEMIAS         ESDRAS
             NA ASSÍRIA    NA BABILÔNIA




ZOROBABEL           IMPÉRIO          IMPÉRIO                       JESUS CRISTO
                                  GREGO             ROMANO.

PRÉ-HISTÓRIA       130 d.C             2002 d.C             950 a.C     750 a.C    622 a.C     640 a.C

1800 a.C        1250 a.C       200 a.C       1050 a.C        1000a.C       971 a.C     931 a.C    722 a.C

581 a.C          538 a.C         530 a.C       450 a.C          440 a.C      330 a.C        63 d.C      100 d.C

PATRIARCAS                          CHEFES                   MONARQUIA              MONARQUIA
                                                                                       ÚNICA                        DIVIDIDA
Isaac (21,1-35,29)                                                        Consolidação                Período riquíssimo
Jacó (25,26-49,33)                                                        da conquista                  em escritos
[promessas: Terra, Descendência, Bênção]                     da terra

Norte – Israel (Samaria de Siquém)            Sargão II       Nabucodonosor        Retorno        Recontrução
Rei = Jeroboão                                                                                                do exílio        do Templo
Sul – Judá (Jerusalém)
Rei = Roboão

Reconstrução                Reconstrução             Alexandre          Pompeu        N. Testamento         Tempo
Das muralhas                das Leis                       Magno                                   Era Apostólica       da Igreja


P                 Javista (J)                   Eloísta (E)                Deuteronomista (D)
A
R                         Sacerdotal(P)             Harmonização das 4 tradições
U
S
I
A

LINHA DO TEMPO (POVO DE ISRAEL)

SALOMÃO                                                                                  JEOVISTA
Nome de Deus = Javé
Montanha = Sinai
Ambiente = Judéia
Tempo = Do reinado de Salomão
Até o século VIII
Deus = próximo, com traços humanos
Textos legislativos = Ex 34, 1-27


Nome de Deus = Elohim
Montanha = Horeb
Ambiente = Reino do Norte
Tempo = Por volta de 750 a.C
Deus = Transcendente; não fala
Oralmente, mas por sonhos.
Textos legislativos = Ex 20, 1-17 ; Ex 20,22 – 23,33.


Montanha = Horeb
Ambiente = Costumes do Reino do Norte
Tempo = 1a edição => encontrada na
Reforma do Templo.
2a edição => depois de 587.
Deus = é bom e fala ao coração do homem.


Tradição formada ao longo dos séculos.
Ambiente = Sacerdotes de Jerusalém
Nome de Deus = Elohim, El Shaddai e Javé.
Deus = bem transcendente, Santo, Separado.


Harmonização das 4 tradições


CURSO DE TEOLOGIA PARA LEIGOS
DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À SAGRADA ESCRITURA
PROGRAMA


1 – Constituição Dogmática Dei Verbum , Sobre a Revelação Divina
a) Inspiração e verdade na Sagrada Escritura
b) Interpretação da Sagrada Escritura
c) A História da Salvação no Antigo Testamento
d) Importância do Antigo Testamento para os Cristãos
e) A Igreja venera a Sagrada Escritura
f) Importância da Sagrada Escritura para a Teologia
2 – O Deus que se encontra no caminho
a) O que distingue a fé bíblica em Deus das outras religiões do mundo antigo
b) Como e por que a Bíblia fala tantas vezes dos inícios
c) A Bíblia e a nossa pergunta sobre “o que aconteceu no fundo”
3 – As Tradições do Pentateuco
a) Israel e sua fé retratados em uma história
b) Quatro documentos em um só
c) Aa Tradições Javista, Eloísta, Deuteronômica e Sacerdotal
d) Influência de Moisés
e) Luz no caminho
f) As narrações Patriarcais e nós hoje
4 – O Deus que dá a vida no deserto
a) A península do Sinai como possível espaço vital dos antepassados de Israel
b) Testemunhos arqueológicos da vida humana do 3o e 2o milênios a.C
c) Informações egípcias sobre os nômades do Sinai do 2o milênio a.C
d) Um Deus que quer ser próximo no deserto
e) Javé que dá os dez mandamentos em cima de uma montanha no deserto
5 – O Antigo Testamento
a) Introdução : a história e o relato
b) A História de Israel
c) O relato bíblico
- A Teologia da Promessa
- A Teologia da Libertação
- A Teologia da Aliança
6 – O Deus que liberta
a) O período em que o êxodo pode ter ocorrido
b) Autoconsciência dos faraós e suas conseqüências para os súditos
c) Condições de vida no serviço de trabalho do faraó
d) Possível decorrer do êxodo
e) O caminho pelo qual o grupo do êxodo saiu do Egito
f) Experiência fundamental: Ele quer estar aqui como aquele que liberta

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa