quarta-feira, 20 de outubro de 2010

As Bem-aventuranças e amor ao próximo - A verdadeira felicidade


Objetivo: Despertar no catequizando o desejo de conquistar esta felicidade.

Motivação e comentário
Motivação: O que é ser feliz? (Anotar no quadro todas as respostas.)
Na sociedade em que vivemos muita gente pensa que para ser feliz é preciso ter muitas coisas (riquezas, profissão, dinheiro para comprar tudo o que quer).  Mas isso é ser feliz? (pausa)

Na realidade existem várias situações que trazem uma felicidade passageira e outros momentos que podem nos dar uma felicidade eterna, isto é, sem fim. 


Por exemplo, se você oferecer um copo d’água com amor e carinho, você já está conquistando sua felicidade eterna. 

Se você rezar/interceder por alguém, é uma grande alegria que poderá experimentar.   Mas por que será que estamos falando de felicidade hoje? (pausa)

2 - Comentário: Bem, hoje vamos falar da verdadeira felicidade.  Vamos falar da felicidade eterna.  Mas que felicidade é esta?  Quem sabe dizer? (pausa)  Felicidade eterna, isto é, a vida que teremos após a morte do nosso corpo.

Hoje vamos falar desta felicidade que teremos no céu.  Quem foi que nos ensinou o verdadeiro caminho? (pausa) JESUS! Ele nos fala dos valores do Reino que garantem a nossa felicidade eterna. E esta felicidade JESUS nos mostrou no chamado Sermão da Montanha. 
Verdadeira felicidade, Bem-aventuranças
Os valores que JESUS nos ensina são diferentes dos que vemos na nossa sociedade, no nosso dia-a-dia.  Esta alegria, esta felicidade que vamos conhecer, chama-se  Bem-aventuranças.  A palavra bem-aventurada significa feliz, mas felicidade verdadeira, felicidade plena que só teremos no céu, mas ela construída aqui nesta vida! JESUS nos ensina proclamando as bem-aventuranças para nos mostrar o caminho: “Sejam perfeitos no amor, assim como é perfeito o PAI de vocês, que está no céu” Mt5,48.  Que convite maravilhoso!

Criados à imagem e semelhança de DEUS, trazemos inscrito no mais profundo de nosso coração um anseio do infinito, de busca da verdadeira felicidade que se encontra em DEUS pois, só nele reside o sentido de nossa vida.  Entretanto, muitas vezes confundimos o caminho que nos leva ao encontro dessa realização.

Vivemos num mundo onde se multiplicam os apelos de uma falsa e fugaz felicidade: ambição desmedida, ânsia de poder, de riqueza, de honrarias.

No sermão da Montanha, JESUS nos apresenta uma síntese do Evangelho – uma proposta de vida que resume como o homem deve viver para alcançar sua plenitude e ser realmente feliz Mt5,1-12. JESUS nos mostra as 8 bem-aventuranças como candelabros ou velas para nos iluminar e levar à vida eterna.  E nós que estamos aqui agora temos condição de chegar a este fim, pois temos: inteligência, vontade e sentimento no coração. Estas bem-aventuranças remetem o homem ao fim sobrenatural que é DEUS.

Estas bem-aventuranças que ouvimos no texto, só compreenderão melhor na medida em que procuramos vivê-las no dia-a-dia.  As bem-aventuranças são oito regras que JESUS nos ensina por amor, para vivermos conforme a vontade de DEUS. Elas nos colocam diante de escolhas decisivas em relação aos bens terrenos.  Purificam nosso coração para que aprendamos a amar a DEUS sobre todas as coisas.

É o ponto alto da pregação de JESUS e respondem ao desejo natural de felicidade do homem e nos fazem participar antecipadamente da natureza divina e da vida eterna, pois estas bem-aventuranças são sinais de comunicação com DEUS e ao aprendê-las devemos vivê-las se quisermos conquistar o céu.  Lembram do encontro da Bíblia?  Veja, você é livre para escolher! (levar o cartaz da Bíblia Sim ou Não)

No texto foi narrado: “Olhando a multidão”, JESUS começa as bem-aventuranças: Ele vai convocar os que desejam tentar com ele a maior aventura jamais proposta aos homens: implantar o Reino de DEUS na terra.  O Mestre começa por ensinar que a felicidade do homem não se prende ao que possui, mas ao que ele é.

As bem-aventuranças caracterizam a posição dos que querem ser discípulos de Cristo.  Antes de determinar o que “deverão fazer”, Cristo declara como “deve ser” seus seguidores.  Não nos libera da luta quando diz: “Meu Reino não é deste mundo, mas é neste mundo que devereis agir, ide e pregai o meu Evangelho a todas as criaturas”.

Precisamos trabalhar os “verdadeiros valores” (exemplos: namoro x ficar, liberdade no namoro, cumprimento dos preceitos, etc).

No AT, Moisés sobe ao Monte Sinai, lembram?  Neste texto vemos JESUS subindo a um monte. Ele nos mostra condições indispensáveis para se ingressar no reino de DEUS. 

JESUS mexe profundamente com a maneira de ver, de agir e de viver de todos nós.  Aquilo que DEUS ama é o que os homens desprezam.  O que constrói o Reino é o que os homens colocam de lado.  JESUS ensina onde estão os verdadeiros valores, onde está a verdadeira felicidade.

Por que será que JESUS proclama estas bem-aventuranças em um monte e não na Sinagoga ou Templo?  Porque Ele quer que todos tenham acesso à sua Palavra e à sua Pessoa.  Ele falou aos pescadores, agricultores, comerciantes, às pessoas marginalizadas, à maioria sem voz e sem vez.

O que JESUS prometeu?  Ele prometeu riqueza, mudança de vida, prestígio?  Não! Ele nos diz para seguir estas regras de amor para assim sermos bem-aventurados.  É claro, as bem-aventuranças colocam-nos perante opções decisivas relativamente aos bens terrestres: purificam o nosso coração para nos ensinar amar a DEUS sobre todas as coisas. Vamos refleti-las uma a uma.
2 – “Bem-aventurado os mansos porque possuirão a terra”.
Os mansos são aqueles que como todos passam pelos problemas mais diversos, sem permitir que seu coração se contamine pelo mal. O cristão que vive deste modo, por conformar à sua vida à vida de JESUS, se tornará manso e humilde. Não é dizer amém a tudo! Mas lutar para melhorar o que estiver ao seu alcance com mansidão.

Possuir a terra é ganhar corações e almas.  A mansidão tem eficácia divina de ganhar corações; ao contrário, a ira afasta de nós os outros, a ira pode ter vitórias fáceis e até pode trazer felicidade momentânea, mas que na realidade são superficiais e acabam logo e vem a frustração. 

Tem um pensamento que diz: “Quer ser feliz por um dia, pratique a ira, quer ser feliz para sempre perdoa tudo”! Autor desconhecido.

E isso mesmo!!!!  A mansidão, ao contrário, domina os corações e as almas;  Mas o que é mansidão? É a doçura que JESUS nos ensinou.  Mansidão é uma virtude difícil,  porque tem que contrariar os movimentos da   ira, que quase sempre nos parecem justificados.

Mas ao vencermos o sentimento da ira, podemos sentir gozos íntimos: a doçura de ser manso, doçura de ganhar a terra,  não pelo ruído das armas, pelo ruídos das palavras, da agressão física, mas sim pela doçura e mansidão. 

A mansidão é a doçura da alma e nos leva a levar uma cópia do CORAÇÃO DE JESUS. JESUS MANSO E HUMILDE DE CORAÇÃO,  FAZEI O NOSSO CORAÇÃO SEMELHANTE AO VOSSO!

As bem-aventuranças nos impõem deveres austeros, mas também nos dá gozos celestiais.  Será que você que está aqui agora necessita de ser mais manso? (pausa) Como é o meu relacionamento com o próximo?  Que cada um ore diariamente: “JESUS MANSO E HUMILDE DE CORAÇÃO,  FAZEI O NOSSO CORAÇÃO SEMELHANTE AO VOSSO!
3 – “Bem-aventurado os que choram porque serão consolados”.
Este choro  é diferente do choro “humanamente falando”  não é, por exemplo, choro pela perda de alguma coisa. 

O mundo chora com desespero, perdas financeiras, mágoas, decepções...  O choro que JESUS  se refere  é fruto de uma verdadeira sintonia com o coração de DEUS. 2Cor7,10 – tristeza segundo DEUS que produz arrependimento. 

A atitude daquele que chora é criar um espírito de vigilância para não cair no erro de que nada mais é pecado ou na auto-suficiência de nunca estar errado.

O discípulo está atento para não cometer o engano espiritual apresentado por JESUS em Lc18,9-14.

Esta bem-aventurança nos leva ao estado de atenção para não ofender a DEUS com o pecado pessoal, e com esta atitude nos levará a orar pelos pecados de toda a humanidade trazendo assim infinitas bênçãos para nossa vida. Este modo de viver realiza a promessa relatada em Jr31,13b.

Então, o que JESUS quis dizer bem-aventurados com os que choram? São aqueles que têm capacidade de se arrepender e aqueles que são solidárias com o sofrimento do outro. Estes serão consolados no amor de DEUS.

Esta bem-aventurança nos levará à conversão sincera. Vamos refletir um pouquinho: De que preciso de me converter agora! O que está impedindo? O que poderá impedir minha perseverança? (pausa)
4 – “Bem-aventurado os puros de coração porque verão a DEUS”
“Bem-aventurado os puros de coração porque verão a DEUS”, isto é, devemos ver todos os acontecimentos da vida com o olhar de DEUS.  Esta bem-aventurança nos revela o maior interesse de DEUS para os homens: o estado do seu coração, ou seja a sua integridade interior. Aqui podemos lembrar da música: “Senhor quem entrará...” refletir a música com os catequizandos. Esta bem-aventurança nos levará a vigilância com o nosso interior, isto é, o nosso coração. Refletir Fl4,8.
5 – “Bem-aventurado os pacíficos porque serão chamados filhos de DEUS”.
O que é ser pacífico? (pausa) É estar sempre preocupado em semear a paz em qualquer lugar. 

O pacificador luta para não se deixar dominar pela natureza egoísta própria do ser humano.

Tal atitude faz o verdadeiro discípulo buscar a disciplina da neutralidade para tomar decisões segundo a vontade de DEUS.

O cristão diante de qualquer questão não se deixa dominar pelo desejo de favorecimento, mas unicamente pela verdade de DEUS. 

E isso exige luta e perseverança.

Precisamos ser instrumentos da paz onde quer que estejamos.

Onde preciso  promover a paz hoje? Em casa, trabalho...
6 – “Bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, porque delas é o reino dos céus”.
O modo de viver do cristão entra em conflito com os padrões do mundo. O conflito é criado não pelo discípulo de Cristo, mas pelo mundo que não aceita a maneira de proceder do evangelho.

Neste sentido JESUS alerta sobre a possibilidade da perseguição quando nos dispomos a viver segundo os seus ensinamentos. Refletir Mt10,34-36. Então o que JESUS quis dizer com perseguição? (pausa)

Às vezes somos criticados porque vamos a Igreja, a catequese. Às vezes somos criticados porque somos obedientes. Nestas bem-aventuranças vemos a vocação do Cristão: Unir-se à Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, através do sofrimento aceito por causa do Evangelho.

E diante da perseguição veja que consolação!!!!! “Alegrai-vos e exultai...” Mt5,12. Como reajo à perseguição? (pausa) CORAGEM!!!! Grande será a sua recompensa! Avante! Vamos seguir JESUS!
7 – “Bem-aventurado os que têm fome e sede de justiça porque serão saciados”.
Vivemos numa sociedade onde os valores com a verdade estão em crise. Para o cristão não basta viver individualmente o padrão de santidade dado por DEUS.

Precisa partir para o mundo e levar a mensagem, os valores do evangelho, a fé capaz de influenciar em todos os níveis da vida social sem se deixar contaminar pela corrupção do mundo.

A justiça bíblica não fica somente nas belas intenções, mas transforma-se em ato, a ponto de satisfazer as necessidades das pessoas onde se fizer necessário.

Esta bem-aventurança também nos lembra que devemos dar a cada um o que é de direito, tanto ao nosso irmão como a DEUS.

O cristão deve ser pessoas que desejam realmente fazer a vontade de DEUS construindo uma sociedade justa, sem corrupção. “Meu alimento é fazer a vontade de meu Pai” Jo4,34. Onde você precisa praticar a justiça hoje?

Para quem você precisa levar a verdade que é a Palavra de DEUS? (pausa)
8 – “Bem-aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia”.
Misericórdia quer dizer ter coração para as misérias dos outros, ter compaixão, isto é, ajudar o próximo é muito importante. DEUS revelou a grandeza da sua misericórdia, isto é, vindo até nós para participar em tudo daquilo que faz parte da nossa vida.

Ele não só solidarizou conosco mas, assumiu os nossos sofrimentos para manifestar a misericórdia divina. Refletir: Ef2,4-5. E para vivermos esta regrinha cheia de amor, podemos lembrar daquela oração que JESUS nos ensinou. “Perdoai as nossas ofensas assim...” Nós seremos perdoados por DEUS se nós perdoamos aos nossos irmãos.

Quem você precisa perdoar hoje? Pausa.
Viver as bem-aventuranças
Quem vive o espírito das bem-aventuranças é feliz porque JESUS está no centro delas  e somente ele é a resposta aos anseios mais profundos do coração do homem! Diz Santo Agostinho: “O coração humano só descansará em Deus”!

Ser bem-aventurado é reconhecer a DEUS como a grande, única e definitiva riqueza, que o ladrão não rouba, nem a traça corrói e nem a inflação desvaloriza.

É colocar DEUS no lugar que sempre foi d’Ele, no centro de nossas vidas, certos de que não estamos sozinhos. É viver a fartura sem orgulho ou soberba, e as dificuldades ou perseguições sem desespero ou revolta, sabendo que se DEUS é por nós, ninguém será contra nós. Ou como diz São Paulo: “Que se gloria, glorie-se no Senhor”.

JESUS é a fonte de toda Paz e do maior Bem que se possa desejar aqui neste mundo e gozar um dia na plenitude do Céu.  Sejamos felizes! vivamos a alegria de participar da vida do Filho de DEUS, levando a presença de Cristo no meio  dos homens.

As bem-aventuranças são como que velas que nos guiarão à vida eterna.  E nós temos condição de chegar a este fim porque somos inteligentes, temos vontade e sentimentos nos coração. Elas nos remetem diretamente a DEUS.

Portanto, vamos seguí-las com amor e carinho lembrando o que JESUS nos disse: “Se alguém quiser vim após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”.

Amados, tomemos a Cruz de JESUS e pensemos que nesta Cruz não há somente peso, não há somente dor; há também consolação, alegria, delícias celestiais eternas! Avante! Vamos irmãos! Nada de moleza!
Vale a pena seguir JESUS CRISTO!!!!
Vós sois o sal da terra
Na continuação do Sermão da Montanha JESUS proclama também que Vós sois o sal da terra Mt5,13 – Sal para que serve? Para dar sabor os alimentos, conservar. A palavra sal vem de sabedoria.  Se JESUS nos diz que somos o sal da terra, o que devemos conservar? Assim como o sal dá gosto aos alimentos, assim com a vivência das bem-aventuranças darão gosto as coisas de DEUS.

O verdadeiro cristão sente gosto pela presença de DEUS em sua vida, e sentindo esta presença, com certeza, despertará em tantos outros a vir sentir também.

Então, nós somos chamados a esse encontro com JESUS, que nos convida a ser sal da terra e luz do mundo.  Diante de tantas opções que nos são oferecidas; corrupção, fraude, injustiça, imoralidades, infidelidades, competições desleais, etc., o cristão é chamado a enfrentar e vencer as tentações e as armadilhas que encontra ao longo do caminho.

Todos os batizados devem ter viva consciência de suas responsabilidades perante o mundo, cultivar em si mesmo uma espiritualidade verdadeiramente católica e  empregar seus esforços na obra da evangelização. 

O fervor e a dedicação no serviço de DEUS e o amor pelo próximo trarão um novo sopro de espiritualidade para toda a Igreja, que aparecerá então como a luz do mundo e o sal da terra.
Vós sois a Luz do mundo Mt5,14
 Alguém acende uma luz e a põe debaixo da mesa? (pausa) De que adianta você vir para a catequese ouvir tantas maravilhas e ficar depois com a boca fechada e com vergonha para proclamar o que você ouviu? 

Para que serve a chama? Todos os batizados são animados por uma fé íntegra, pela caridade com DEUS e com o próximo, pelo amor à cruz, e pela esperança na glória futura, difundam por todo o mundo a boa-nova de Cristo, de sorte que seu testemunho seja manifesto a todos e seja glorificado nosso Pai que está nos céus. 

Este é o nosso único objetivo: Glorificar a DEUS. O Catequista deve ser o sal para seu rebanho, levar a Palavra de Deus com sabor, a fim de que vocês sintam a maravilha que é a Palavra de Deus e saia daqui já proclamando.

Então, aprendemos o caminho da verdadeira felicidade, as 8 qualidades que devem distinguir o   perfeito discípulo de Cristo.


Cantar   :    Vós sois o caminho a verdade e a vida. O pão da alegria descido do céu. (refrão)
Obras caritativas
Conhecemos as bem-aventuranças e agora, para nos ajudar ainda mais a nossa santificação, vamos conhecer algumas obras caritativas, isto é, de amor as quais nos levarão a socorrer o próximo nas suas necessidades que são: Corporais e espirituais.

EspirituaisInstruir, aconselhar, confortar, perdoar e suportar com paciência as fraquezas do próximo.

Corporais dar de comer, moradia ao desabrigados, vestir os maltrapilhos, visitar os doentes e prisioneiros e sepultar os mortos.  A esmola é um dos gestos de misericórdia que mais agrada a DEUS, pois é o principal testemunho da caridade fraterna - CIC2447.

E, falando de amor e bem-aventuranças, o momento por excelência no qual a misericórdia precisa ser vivida é em relação àqueles que estão caídos, o próximo, por causa de suas enfermidades, é refletir uma linda parábola que JESUS contou para nos mostrar concretamente quem é o nosso próximo e qual deve ser a nossa atitude -  Lc10,30-37.

Neste texto vemos que a resposta tão brilhante não deixou de ser elogiada por JESUS: “respondeste corretamente; faze isso e viverás”, mas logo a seguir veio um problema: “Mas quem é o meu próximo?”

A conversa passa do teórico para o prático e daí JESUS conta esta parábola.  Mas por que será que houve a pergunta: Quem é o meu próximo?

A Lei deixava questões em aberto, pois o amor ao próximo era restrito a um determinado número de pessoas, excluindo a plebe, ignorante da Lei, inimigos do partido, estrangeiros e outros.

Nosso Mestre JESUS mostra com esta parábola que o amor não tem fronteiras, religiosas, políticas, geográficas ou de sangue. Nada pode superar o amor. A lição de JESUS nesta parábola é clara, nova, forte e maravilhosa!

Detalhe importante: JESUS utiliza-se de personagem de um samaritano para nos dizer que naquele tempo entre os Judeus aceitar um samaritano era um grande exemplo de amor. JESUS não poderia exigir ato maior de um judeu do que aceitar um samaritano como irmão.

JESUS também não identifica, Ele diz um homem.  Não tem nome, não se sabe onde nasceu, nem se conhece sua idade.  JESUS não entra em detalhes: é simplesmente um homem, um homem que passa, que é assaltado e que está ali na beira da estrada, necessitando de alguém que o ajude.

Será que este homem é ilustre?  Pois bem, lendo esta parábola e atento aos ensinamentos do Evangelho, descobriremos que este homem tem um nome sim: chama-se JESUS de Nazaré! É JESUS que vem ao nosso encontro, que atravessa nosso caminho, que está ferido numa das tantas estradas da vida. 

Ali está precisando de nós.  Em um momento ele se confunde com um membro de nossa própria família, e está necessitado de alguém que o escute; em noutro, apresenta-se no rosto nos vizinhos do bairro que pedem nossa colaboração; às vezes nos apresenta através de um jovem drogado a procura de razões para viver. 

Como também no gesto do menino de rua que nos pergunta: “Vai uma engraxada”? ou “Tia, compra um chiclete para me ajudar”.  Às vezes JESUS se aproxima de nós em corpos marcados pela doença, pela fome, pelo abandono.

A parábola do Bom Samaritano teve um final feliz.  É verdade que alguns passaram a seu lado e nada fizeram.  Mas houve alguém, da cidade de Samaria, de onde não se acreditava que pudesse surgir algo de bom, que viu o homem que fora assaltado e o ajudou.

Irmãos, no momento o que de concreto podemos fazer em favor dos nossos irmãos?  Podemos ficar vigilantes em oração por nossos irmãos menos favorecidos, pelos nossos governantes para que surja alguém de “Samaria” e vá em socorro de tantos sofredores.

ORAR É MUITO CONCRETO. A ORAÇÃO PODE MUDAR O CORAÇÃO DO PAI!

(Encerrar o encontro com oração espontânea levando os catequizandos a pedir forças para caminhar com JESUS)
Motivação encontro: Hoje conhecemos 8 regras de amor que precisamos seguir para caminharmos com JESUS. Será fácil ou difícil? No próximo encontro vamos aprender o que fazer quando cair na tentação de desviar. Qual será a “arma” que devemos usar? Não percam!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa