sábado, 27 de novembro de 2010

Estimular mudanças de hábitos e atitudes na sociedade do Brasil

18/11/2010

Estimular mudanças de hábitos e atitudes na sociedade brasiliense em relação à gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas. Este é o objetivo do encontro que a Comissão Justiça e Paz (CJP) da arquidiocese de Brasília (DF), promove, no próximo sábado, 20, para o planejar a Campanha da Fraternidade de 2011, cujo tema é "Fraternidade e a Vida no Planeta" e lema, "A criação geme em dores de parto".


"O propósito é orientar Paróquias, Pastorais e Movimentos Leigos quanto ao planejamento das ações para a realização desta Campanha em face das responsabilidades sociais de cada pessoa, a fim de conscientizá-las para o enfrentamento do problema e contribuir para preservar as condições de vida", diz a Comissão.

O evento ocorrerá no Auditório da Cúria Metropolitana, localizada na Esplanada dos Ministérios, ao lado da Catedral, no horário das 8h às 12h. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no dia e local do evento.

Participarão do encontro o vigário geral da arquidiocese, padre João Ignácio Périus; o representante do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Distrito Federal – Brasília Ambiental (IBRAM), prof. Adolpho Luiz Fuíca Kerlring, especialista em gestão e educação ambiental; o assessor da Cáritas Brasileira, José Boaventura Teixeira; além de integrantes das Paróquias, Pastorais, Movimentos e Serviços de Leigos da Arquidiocese.

Outras informações podem ser obtidas com a CJP pelos telefones (61) 3223-3513 e 3213-3333.

Fonte: CNBB.org.br


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa