sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Santo Padre pede que se celebre solene "Vigília pela vida nascente"

No sábado 27 de novembro, o Santo Padre celebrará na Basílica de São Pedro, em Roma, uma solene “Vigília pela vida nascente” em coincidência com as Primeiras Vésperas do primeiro Domingo de Advento e na perspectiva da solenidade do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo. A Vigília incluirá também, além das Vésperas, a adoração eucarística, para agradecer o Senhor que, através da entrega total de si próprio, deu sentido e valor a toda vida humana, e também para invocar a sua proteção sobre cada ser humano.

O Santo Padre deseja que os Bispos presidam nas Igrejas particulares celebrações análogas e envolvam as paróquias, as comunidades religiosas, as associações e os movimentos.  
Todos nós estamos conscientes dos perigos que hoje ameaçam a vida humana por causa da cultura relativista e utilitarista que obscurece a percepção da dignidade de cada pessoa humana, em qualquer estádio do seu desenvolvimento. Somos chamados mais do que nunca a ser o “povo da vida” (João Paulo II, Evangelium Vitae, 79) com a oração e o empenho. “Nessa Vigília, celebrada por todas as Igrejas particulares unidas ao Santo Padre, Pastor universal, pediremos a graça e a luz do Senhor para a conversão dos corações e daremos um testemunho eclesial comum para uma cultura da vida e do amor.”
O pedido foi feito por meio do Pontifício Conselho para a Família e da   Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos para os bispos do mundo todo.
MITRA DIOCESANA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Confira as sugestões para a celebração da Solene "Vigília pela Vida Nascente":

SUGESTÕES PARA A HOMILIA DA VIGÍLIA DE ORAÇÃO
1.     Que é o homem para que te lembres dele? (Salmo 8,5). Desde sempre o homem se interroga sobre o sentido da sua própria vida.
2.     “Cristo, novo Adão, na própria revelação do mistério do Pai e do seu amor, revela o homem a si mesmo e descobre-lhe a sua vocação sublime” (GS 22). O mistério que vamos celebrar, na solenidade do Natal de Jesus Cristo, é o grande Sim de Deus à vida humana. “Pela sua encarnação, Ele, o Filho de Deus, uniu-se de certo modo a cada homem... Nascido da Virgem Maria,tornou-se verdadeiramente um de nós” (GS 22).
3.     Nestes momentos, de modo especial e urgente, “a Igreja, sentindo que deve, com igual coragem, dar voz a quem a não tem”, faz uma “reafirmação precisa e firme do valor da vida humana e da sua inviolabilidade, e, conjuntamente, um ardente apelo dirigido em nome de Deus a todos e a cada um: respeita, defende, ama e serve a vida, cada vida humana!” (EV 5).
4.     “Defender e promover, venerar e amar a vida é tarefa que Deus confia a cada homem” (EV 42). É um direito e um dever de todos. Sujeito insubstituível de tal direito e de tal tarefa é a família, “santuário da vida”.
5.     Esta tarefa resume-se, de certo modo, em celebrar o Evangelho da vida, em celebrar o Deus da vida, o Deus que dá a vida, e significa celebrá-lo com a oração, a liturgia e os Sacramentos. Mas a celebração do Evangelho da vida deve ser realizada, sobretudo na existência quotidiana, vivida no amor pelos outros e na doação de si próprio (cf. EV 83-86). Trata-se de “cuidar” da vida toda e da vida de todos (cf. EV 87-91). Momento singular desta tarefa é a promoção de uma cultura da vida, onde o “povo da vida” (EV 78-79), com a sua inumerável e rica variedade de associações e instituições, é chamado a prestar um serviço insubstituível em favor de toda a sociedade.
6.     A Vigília de oração em favor da vida humana nascente quer ser um grito da humanidade toda que se eleva a Deus Pai, doador de todo bem, a fim de que cada vida humana seja respeitada, protegida e amada.




VIGÍLIA DE ORAÇÃO PELA VIDA
No início do Ano Litúrgico 2010/11

A vigília poderá ser celebrada: a) começando com a Exposição do Santíssimo Sacramento e com o canto das Vésperas, ou b) tendo as Vésperas e Bênção com o Santíssimo Sacramento como o ponto culminante.

PRIMEIRO MODELO:
Uma imagem da Virgem (Nossa Senhora da Esperança, com Jesus em seu colo) colocada de um dos lados do altar e decorada com algumas luzes. Pelo fato de estarmos no Advento não recomendamos decoração com flores.
I. A procissão de entrada com o canto "Rorate Caeli" (n º 58 Jubilate Deo, p. 63ss). Ou outro canto popular, adequado
Ao chegar ao altar, o Santíssimo Sacramento é levado para a Exposição. Pode-se levar acompanhado de crianças que carregam ramos de palmeira ou de oliveira nas mãos e com luzes, enquanto se pode cantar uma “canção popular” adequada. O Santíssimo Sacramento será exposto, de acordo com o prevsito no ritual. (Lat. AAS 65-1973 - 610), cantando a “Ave verum ...” ou outro canto apropriado.
Depois de um momento de adoração silenciosa, aquele que preside, vai para a Sede da qual presidirá as Primeiras Vésperas do Primeiro Domingo do Advento.
II. Oração das Primeiras Vésperas do I Domingo de Advento.
Segue a oração das Vésperas, em conformidade com a Liturgia das Horas. Na homilia se introduz e se explica o significado desta vigília, no início de um novo ano litúrgico (ver anexo).
Após o canto das Vésperas, o presidente se prepara para adorar, em silêncio, por um pouco de tempo, “a Santíssima Eucaristia” Ouvir
Ler foneticamente


III. Súplicas pela vida
Diante do Santíssimo Sacramento dá-se o início esta parte da Vigília com uma “Oração inicial ao Senhor da Vida”.
Depois da Oração todos se sentam:
*       Leitura (Gn 3,9-15)
*       Canto da "Ave, Maris Stella" (Jubilate Deo n º 67, p. 75ss). Ou outro “Canto popular” adequado.
*       Explicação por parte de quem preside e introdução à meditação sobre os Mistérios Gozosos da vida do Senhor com Maria.
- Meditação sobre os Mistérios Gozosos do Senhor, reza o Terço.
Aqui são rezados os cinco Mistérios seguindo o mesmo esquema:
*       Leitura do texto do Evangelho.
- Tempo de adoração, meditação e oração pessoal, em silêncio.
*       Reza o Pai Nosso, 10 Ave Marias e Glória (o Glória pode ser cantado). É aconselhável distribuir a oração de cada um mistério para algumas pessoas de grupos diferentes (pais que esperam um filho/a, filho doente com seus pais, a família completa, com filhos, avós com netos e educadores).
*       Um breve silêncio e oração de conclusão de quem preside.
Depois da contemplação dos Mistérios Gozosos se pode concluir a Celebração a Vigília com a bênção do Santissimo Sacramento.
- Bênção do Santíssimo Sacramento e reposição.
Após um breve momento de silêncio, aquele que preside se aproxima do Altar para rezar o Oração do Venerável Papa João Paulo II na Evangelium Vitae e concluir a Exposição do Santíssimo Sacramento, conforme prescrito no ritual.
. Introdução: Pedimos à Virgem Maria para apresentar as nossas orações a seu Filho, Vida do mundo.
Oração da Exortação "Evangelium Vitae" (final)
Canto "O salutáris hóstia" (Jubilate Deo n º 50, p. 55). Ou outro “Canto popular” adequado.
Oração.
• Bênção.
Depois da Bênção se repõe o Santíssimo Sacramento acompanhado por um “canto popular” e se despede a assembleia reunida.



SEGUNDO MODELO
Culminando com a celebração das Vésperas, pode seguir o seguinte cronograma:
I. Procissão de entrada com uma imagem da Santíssima Virgem Maria
Trata-se de uma procissão com todos ou uma parte significativa dos participantes, levando a imagem da Santíssima Virgem Maria, de preferência uma Virgem da Esperança (com o Filho em seu ventre). A procissão de entrada (que poderia se dar também a partir de uma praça ou outra Igreja próxima do local onde se dará a celebração). O Altar deve ter um caráter penitencial (para todos os atentados contra à vida desde sua concepção até seu fim natural). Pode-se cantar canções marianas e intercalar com algumas orações segundo as possibilidades de cada local.
- Saudação inicial
- Procissão com o “canto da ladainha” ou outro adequado
Ao chegar ao altar se “entroniza” de um dos lados do Altar a imagem da Virgem Maria, e pode cantar "Salve Regina” como fim da procissão. A imagem pode ser incensada neste momento. Algumas crianças podem colocar luzes próximo à imagem. Pelo fato de estarmos no Advento não recomendamos decoração com flores.
- Saudação inicial
- Leitura Bíblica, todos sentados, (Gn 3,9-15).
- Canto: "Ave Maris Stella ...", (Jubilate Deo n º 67, p. 75ss). Ou outro “Canto popular” adequado.
- Introdução à Vigília (Cristo, Evangelho da Vida).
II. Exposição do Santíssimo Sacramento
Expõe-se a Eucaristia sobre Altar, como previsto no ritual. Trazendo o Santíssimo Sacramento do Altar da capela, pode-se acompanhar a procissão um grupo de crianças com luzes e ramos de oliveira nas mãos. Um “canto popular” pode ser cantado até a chegada do Santíssimo Sacramento ao Altar.
- Exposição do Santíssimo Sacramento. Incensação.
- Canto: “Ave verum ...” Ou outro “Canto popular” adequado.
Depois que o presidente da celebração chegar, em silêncio, à sua sede, inicia a meditação sobre os Mistérios Gozosos da vida do Senhor, guiados pela Virgem Maria.
- Meditação evangélica com Maria, o Terço.
Inicie a meditação Mistérios Gozosos seguindo cada um dos cinco mistérios o seguinte esquema:
- Leitura do texto do Evangelho.
- Um momento de silêncio, adoração e meditação pessoal.
- Oração do Pai Nosso, 10 Ave Marias e Glória (o Glória pode cantado). Sugerimos que o Primeiro Mistério (Encarnação) seja rezado por alguns pais que esperam o nascimento de um filho/a; o Segundo Mistério (Visitação) por uma criança doente ou deficiente com seus pais; o Terceiro Mistério (nascimento) por uma família com os filhos; o Quarto Mistério (Apresentação – Simeão e Ana) por alguns avós com os netos; o Quinto Mistério (Perdido e Encontrado...) por um ou mais educadores.
- Um breve momento de silêncio e oração de conclusão por parte de quem preside.
- Preces pela VIDA
Terminada a meditação sobre os Mistérios Gozosos da vida do Salvador, diante do Santíssimo Sacramento, faz-se um apelo solene pela vida.
- Breve momento de silêncio.
- Preces pela Vida, que podem ser intercaladas com aclamações da assembleia e ser lidas
 por uma ou mais pessoas.
- Silêncio, oração, adoração pessoal.
- Celebração das PRIMEIRAS VÉSPERAS do ano litúrgico.
Pode-se usar como hino o “Rorate Caeli” (Jubilate Deo n º 58, p. 63ss). Ou outro “Canto popular” adequado. Depois da "Leitura Breve" na homilia se apresenta a importância desta “Vigília pela Vida” na qual se celebram neste ano as Primeiras Vésperas do Advento. Depois da oração das Vésperas com a oração Coleta, quem preside, em silêncio, vai diante do Santíssimo Sacramento para concluir a solene Vigília de Oração pela Vida.
- Conclusão da Vigília, Bênção do Santíssimo Sacramento.
Ajoelhe-se diante do Santíssimo Sacramento e reza a oração do Venerável Papa João Paulo II, Evangelium Vitae”.
- Introdução: Pedimos à Virgem Maria que apresente as nossas orações a seu Filho, a Vida do mundo.
- Oração da Exortação Apostólica "Evangelium Vitae".
Ó Maria,
aurora do mundo novo,
Mãe dos viventes,
confiamo-Vos a causa da vida:
olhai, Mãe,
para o número sem fim
de crianças a quem é impedido nascer,
de pobres para quem se torna difícil viver,
de homens e mulheres
vítimas de inumana violência,
de idosos e doentes assassinados
pela indiferença
ou por uma presunta compaixão.
Fazei com que todos aqueles que crêem
no vosso Filho
saibam anunciar com desassombro e amor
aos homens do nosso tempo
o Evangelho da vida.
Alcançai-lhes a graça de o acolher
como um dom sempre novo,
a alegria de o celebrar com gratidão
em toda a sua existência,
e a coragem para o testemunhar
com laboriosa tenacidade,
para construírem,
juntamente com todos os homens
de boa vontade,
a civilização da verdade e do amor,
para louvor e glória de Deus Criador
e amante da vida.

Depois de um breve momento de silêncio se dá a Bênção do Santíssimo Sacramento como previsto no ritual.
a)     Canto Eucarístico, “O salutáris hóstia ...” (Jubilate Deo n º 50, p. 55, para esta frase  “Qui vitam sine Nobis donet in pátria”) e incenso.
b)     Oração.
c)     Bênção
Depois da Bênção se repõe o Santíssimo Sacramento acompanhado por um “canto popular” e se despede a assembleia reunida.


VIGÍLIA DE ORAÇÃO PELA VIDA
Início do ano litúrgico 2010/2011
Sábado 27 de novembro


Estando o povo reunido na igreja e tendo recebido velas, os diversos ministros se reúnem à porta principal. O presidente da celebração, tendo o círio pascal aceso, entra solenemente na igreja, enquanto é entoado o refrão.
No lado oposto à mesa da Palavra, colocar um ícone da Sagrada Família ou uma imagem de Nossa Senhora. Contanto que fique de maneira discreta.

Teu sol não se apagará,/ tua lua não terá minguante,
Porque o Senhor será tua luz,/ ó povo que Deus conduz.

No meio da igreja, os ministros acendem suas velas no círio e dispõem a luz para a assembléia. Todos continuam entoando o refrão acima até a chegada do que preside ao presbitério, que colocará o círio ao lado da mesa da Palavra.
Estando o que preside em frente à sua sede, um comentarista dirige a palavra aos presentes, dando o sentido da celebração.

Com.: Irmãos e irmãs, a pedido do Papa Bento XVI, que também está em vigília, e unidos a toda a Igreja, nos preparamos para celebrar o Natal do Senhor – o Deus-conosco. Em Jesus Cristo, acreditamos que a vida é o dom supremo do Criador, e, por isso, “defender e promover, venerar e amar a vida é tarefa que Deus confia a cada pessoa humana” (EV 42). Celebremos este inviolável dom, no dom que Deus nos fará com a Encarnação do seu Filho amado.

O que preside inicia com o sinal da cruz:

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Todos: Amém!

Irmãos eleitos segundo a presciência de Deus Pai,
pela santificação do Espírito
para obedecer a Jesus Cristo
e participar da bênção da aspersão do seu sangue,
graça e paz vos sejam concedidas abundantemente.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Ou o que preside entoa a abertura e a assembléia repete (cf. partitura em anexo):

-    Vem, ó Deus da Vida, vem nos ajudar! (bis)
     Vem, não demores mais, vem nos libertar! (bis)

-         Já chegou o tempo, o Senhor vem vindo! (bis)
Venham, pelo deserto, um caminho abrindo! (bis)

-         Deus todo poderoso, nosso criador! (bis)
Aos tristes dá coragem, aos fracos dá vigor! (bis)
           
-         O Senhor nos chama para a conversão! (bis)
A ele preparemos nosso coração! (bis)

-         Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito! (bis)
Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito! (bis)

-         De pé vigilantes, lâmpadas nas mãos! (bis)
Ele está bem perto, nossa Salvação! (bis)

Ou ainda (cf. partitura em anexo):

Pres.: Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
Todos: Socorrei-me sem demora.

Pres.: Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
Todos: Como era no princípio, agora e sempre. Amém!

O que preside pode dirigir uma pequena palavra de boas vindas aos presentes que atenderam ao chamado para esta vigília.
Em seguida, ainda de pé, todos entoam o canto (cf. partitura em anexo):

O Senhor virá libertar o seu povo / E do mundo velho nascerá o novo.

1.   Se, quem tem sede, procura a fonte, / nós procuramos o teu altar.
      Vem, ó Deus vivo, salvar teu povo, / vem, sem demora nos libertar!

2.  Teu povo, outrora, sofreu no Egito / todas as dores da servidão.
      Teu novo povo, também, sofrido, / de ti espera libertação.

3.   Marchaste, outrora, com teus amigos / e os conduziste com segurança.
      Vem, novamente, marchar conosco, / Senhor da história, nossa esperança.

4.   Vem, sem demora, guiar teu povo, / pelos caminhos de cada dia.
      Se estás conosco, a noite é clara / e até do pranto nasce a alegria.
Ou
(cf. partitura em anexo)

1. Senhor, vem salvar teu povo das trevas da escravidão
Só tu és nossa esperança, és nossa libertação.

Vem, Senhor, vem nos salvar / Com teu povo vem caminhar.


2. Contigo o deserto é fértil, a terra se abre em flor,
Da rocha brota água viva, da terra nasce esplendor.

3. Tu marchas à nossa frente, és força, caminho e luz,
Vem logo salvar teu povo, não tardes, Senhor Jesus.


Pres.: Oremos!

Senhor nosso Deus, dai-nos esperar solícitos a vinda do Cristo, vosso Filho amado. Que ele, ao chegar, nos encontre vigilantes na oração e proclamando o seu louvor. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Segue-se a Liturgia da Palavra da vigília:

Is 29,17-24 (cf. Lecionário Semanal, segunda-feira da 2ª. semana do advento, p. 65)

Terminada a leitura, todos entoam:

Mudarei o sertão em açude / terra seca em olho d'água.
Assim falou o Senhor das andanças / pra dar a seu povo a esperança.

Faz-se um breve silêncio e um salmista entoa o Salmo:

Salmo 85(84) (cf. partitura em anexo)

Das alturas orvalhem os céus / e as nuvens que chovam justiça, / que a terra se abra ao amor / e germine o Deus Salvador.

1.      Foste amigo, antigamente, / desta terra que amaste, / deste povo que escolheste; / sua sorte melhoraste, / perdoaste seus pecados, / tua raiva acalmaste.

2.      Vem, de novo, restaurar-nos! / Sempre irado estarás, / indignado contra nós?/ E a vida não darás? / Salvação e alegria, / outra vez, não nos trarás? /

3.      Escutemos suas palavras, / é de paz que vai falar; / paz ao povo, a seus fiéis,/ a quem dele se achegar. / Está perto a salvação / e a glória vai voltar.

4.      Eis: Amor, Fidelidade / vão unidos se encontrar, / bem assim, Justiça e Paz / vão beijar-se e se abraçar. / Vai brotar Fidelidade / e Justiça se mostrar.

5.      E virão os benefícios / do Senhor a abençoar; / e os frutos do amor / desta terra vão brotar, / a justiça diante dele / e a Paz o seguirá.

Dt 30,15-20 (cf. Lecionário Semanal, quinta-feira depois das Cinzas, p. 156)

Faz-se um breve silêncio e um salmista entoa o Salmo:

Salmo 126(125) (cf. partitura em anexo)

Todo povo sofredor (bis) / o seu pranto esquecerá (bis) / pois o que plantar na dor (bis) / na alegria colherá. (bis)

1.      Retornar do cativeiro, / fez-se sonho verdadeiro, / sonho de libertação. / Ao voltarem os exilados, / Deus trazendo os deportados, / libertados pra Sião!

2.      Nós ficamos tão felizes, / nossa boca foi sorrisos, / nossos lábios só canções! / Nós vibramos de alegria: / “O senhor fez maravilhas”, / publicaram as nações!

3.      Ó Senhor, Deus poderoso, / não esqueçais o vosso povo / a sofrer na escravidão. / Nos livrai do cativeiro, / qual chuvada de janeiro / alagando o sertão.

4.      Semeando na agonia, / espalhando cada dia / a semente do amanhã, / a colheita é uma alegria, / muito canto e euforia: / é fartura, é Canaã.

Aclamação ao Evangelho (cf. partitura em anexo)

Aleluia, Aleluia.
Voz que clama no deserto (bis)
“preparai-lhe um caminho, (bis)
Uma estrada ao Senhor!” (bis)

Lc 1,67-79 (cf. Lecionário Semanal, 24 de dezembro, p. 108)

Ou:

Jo 10,9-10 (cf. Lecionário Semanal, 4ª. semana da páscoa, p. 330)

Homilia

Cântico de Maria

Antífona do Ó (cf. partitura em anexo): Ó... Ó Sol do Oriente: / És o Sol da Justiça que desponta, / resplendor de uma luz que não se apaga, / quem habita nas trevas te aguarda, / quem do cego pecado está na sombra, / quem da morte adormece, leva em conta, / vem, Senhor, essa escuridão faz clara, ó, ó.
Vem, ó Filho de Maria, / vem raiar, Sol da Justiça, /quanta sede, quanta espera, / quando chega, quando chega aquele dia?...
(Enquanto entoa-se o Cântico de Maria, o que preside incensa o altar)

-         A minh’alma engrandece o Senhor
e exulta o meu espírito em Deus, meu Salvador;

-         porque olhou para a humildade de sua serva,
doravante as gerações hão se chamar-me de bendita.

-         O Poderoso fez em mim maravilhas
e santo é seu nome!

-         Seu amor para sempre se estende
sobre aqueles que o temem;

-         manifesta o poder se seu braço,
dispersa os soberbos;

-         derruba os poderosos de seus tronos
e eleva os humildes;

-         sacia de bens os famintos,
despede os ricos sem nada.

-         Acolhe Israel, seu servidor,
fiel ao amor,

-         como havia prometido a nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos para sempre.

-         Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre. Amém.

(Repete-se a antífona do Ó)

Preces
Presid.: Irmãos e irmãs, invoquemos a Cristo Senhor que veio, vem e virá, para que nos conceda a vida em abundância prometida, e clamemos:

Vem, Senhor, vem, Senhor, vem libertar vosso povo! (cf. partitura em anexo)

  Senhor Jesus, que fortalecestes os fracos e firmastes os joelhos debilitados,
- revigorai os que esperam em vós, e vinde logo em nosso auxílio.

  Senhor Jesus, Filho do Deus que nos recomendou a vida em lugar da morte como opção dos que crêem em vós,
- fortalecei em nós a escolha da vida, e vinde logo em nosso auxílio.

  Senhor Jesus, que escolhestes a vida e vos tornastes modelo para a humanidade,
- iluminai as ações da vossa Igreja, para que gere e promova a vida, e vinde logo em nosso auxílio.

  Senhor Jesus, Messias esperado desde o povo da primeira Aliança,
- que a vossa encarnação devolva o nosso ânimo, e a vossa vitória sobre a morte destrua o nosso medo, e vinde logo em nosso auxílio. 

Presid.: Ó Senhor, vós que sois a vida do mundo, ouvi bondoso os nossos pedidos enquanto esperamos a vossa volta. Vós que sois Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

Todos: Amém.

Presid.: lembrai-vos de nós, Senhor, quando vierdes em vosso Reino e ensinai-nos a dizer: Pai nosso...

Presid.: Oremos!

Despertai, ó Deus, o vosso poder e socorrei-nos com a vossa força, para que vossa misericórdia apresse a salvação que nossos pecados retardam. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Bênção

Que o Deus onipotente e misericordioso vos ilumine
com o advento do seu Filho,
em cuja vinda credes
e cuja volta esperais,
e derrame sobre vós as suas bênçãos.

R. Amém.

Que durante esta vida ele vos torne
firmes na fé,
alegres na esperança,
solícitos na caridade.

R. Amém.

Alegrando-vos agora
pela vinda do Salvador feito homem,
sejais recompensados com a vida eterna,
quando vier de novo em sua glória.

R. Amém.

Abençoe-vos Deus todo-poderoso,
Pai e Filho e Espírito Santo.

R. Amém.



Material necessário para a celebração:

·        Folha com o roteiro completo ou, pelo menos, com os cantos
·        Círio pascal
·        Velas para todos
·        Ícone da Sagrada Família ou imagem de Nossa Senhora
·        Incenso
·        Lecionário semanal

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa