sexta-feira, 11 de março de 2011

Testemunhas da Ternura de Deus


«Saboreai e vede como o Senhor é bom» (Sl 34, 9)
Apresenta-se uma proposta de itinerário de oração e reflexão para as reuniões de catequistas, com base na Carta Pastoral Testemunhas da Ternura de Deus.
Com um esquema simples, pode propor-se a reflexão e a oração da temática do acolhimento e da vocação, fazendo, ao longo dos meses (ou no ritmo próprio de cada paróquia), uma leitura progressiva da Carta Pastoral para a Diocese.


Como material de apoio é necessária uma Bíblia, a Carta Pastoral do nosso Bispo, Testemunhas da Ternura de Deus, e um livro de cânticos (todos os cânticos propostos podem encontrar-se no livro de cânticos e orações «Laudate»).
1. Esquema de cada momento de oração e reflexão:

1. Introdução (que pode incluir um cântico)
2. Leitura bíblica
3. Texto da Carta Pastoral
4. Momento de reflexão ou de partilha
5. Conclusão com a oração apresentada na Carta Pastoral (nº 5, p. 46)

2. Itinerário de reflexão

1. Uma paragem em Elim
a. Texto bíblico: Ex 15, 22-27
b. Da carta pastoral: nº 1. (p. 7-9)
c. Cântico: O Povo de Deus (Laudate 574)
d. Para a reflexão de grupo:
«Somos cristãos e comunidades capazes de acolher Deus e os outros?»
Que atitudes de acolhimento podemos desenvolver com as crianças e os adolescentes da catequese? E com os pais?

2. O encanto do primeiro acolhimento

a. Texto bíblico: Gen 1, 31 – 2, 7.
b. Da carta pastoral: nº 3.1.1. (p. 16-18)
c. Cântico: Pois o Verbo de Deus acampou (Laudate 665)
d. Para a reflexão de grupo:
Em que momentos mais nos sentimos fruto do amor criador de Deus?
O que podemos fazer para que as crianças e adolescentes da catequese possam compreender, sentir e viver a fé em «Deus Pai criador do céu e da terra»?

3. Acolhidos nas nossa fragilidades

a. Texto bíblico: Jo 4, 7-14.
b. Da carta pastoral: nº 3.1.2. (p. 18-20)
c. Cântico: Bebei se tendes sede (Laudate 171)
d. Para a reflexão de grupo:
Temos a capacidade para olhar para a nossa fragilidade, e para a fragilidade dos outros, com a mesma atitude de Jesus diante da mulher samaritana?
Como acolhemos as crianças e adolescentes da catequese com as suas «fragilidades»?

4. Acolhidos apesar da recusa

a. Texto bíblico: Mc 10, 17-22
b. Da carta pastoral: nº 3.1.3. (p. 20-22)
c. Cântico: Vai vender o que tens (Laudate 838)
d. Para a reflexão de grupo:
Como compreendemos a nossa liberdade diante de Deus?
Sentimo-nos verdadeiramente livres?
Temos a capacidade de propor aos nossos catequizandos os vários caminhos de resposta vocacional ao Senhor que chama?

5. Acolher Deus o quotidiano 

a. Texto bíblico: Gen 18, 1-15
b. Da carta pastoral: nº 3.2.1. (p. 22-23)
c. Cântico: Fica entre nós, Senhor (Laudate 401)
d. Para a reflexão de grupo:
No dia de hoje, olhando-o à luz do texto dos Génesis, onde podemos perceber o Deus que «chega de surpresa»?
Como ajudar os catequizandos a viver a sua fé na sua vida de todos os dias?

6. Acolher a Palavra

a. Texto bíblico: Lc 10, 38-42
b. Da carta pastoral: nº 3.2.2. (p. 24-26)
c. Cântico: A vossa palavra (Laudate 126)
d. Para a reflexão de grupo:
Que espaço reservamos para a escuta da Palavra?
Que fazer para tornar a catequese um espaço de verdadeiro acolhimento da Palavra de Deus?

7. Acolher a Misericórdia

a. Texto bíblico: Lc 19, 1-10
b. Da carta pastoral: nº 3.2.3. (p. 26-28)
c. Cântico: Dá-nos um coração (Laudate 259)
d. Para a reflexão de grupo:
Procuramos viver e celebrar a misericórdia de Deus?
Os encontros de catequese são espaços onde se vive a «ternura, o amor terno de Jesus»?

8. O acolhimento fraterno

a. Texto bíblico: Mc 9, 33-37
b. Da carta pastoral: nº 3.3. (p. 28-30)
c. Cântico: Se vos amardes (Laudate 749)
d. Para a reflexão de grupo:
A nossa comunidade está atenta àqueles que mais necessitam?
Como despertar as crianças e adolescentes dos nossos grupos de catequese para o acolhimento fraterno?

9. Nossa Senhora da Ternura e do Acolhimento

a. Texto bíblico: Lc 1, 26-38
b. Da carta pastoral: nº 5. (p. 45-46)
c. Cântico: Quero ser como tu (Laudate 946)
d. Para a reflexão de grupo:
Que avaliação fazemos deste ano pastoral? Quais os aspectos mais positivos, as iniciativas mais significativas que se realizaram, os aspectos que melhoraram na catequese?

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa