sábado, 2 de abril de 2011

Seja sempre honesto


Seja sempre honesto
Para que o filho único pudesse estudar, certo pai precisou trabalhar com afinco por longos anos. Concluindo o segundo grau, o jovem rumou para um grande centro, onde depois de aprovado nos exames vestibulares iniciou o curso de ciências econômicas. O moço cuidava para não ser demasiadamente pesado para o velho pai. Assim, durante os anos vividos longe do lar, esteve sempre atento aos conselhos do pai: agir com respeito, decência e honestidade.
Os anos passaram e o jovem finalmente concluiu, com brilhantismo e distinção, o seu curso. Agora já formado, arrumou as malas e feliz retornou para junto dos pais, cheio de reconhecimento e gratidão. Uma conceituada firma comercial o contratou logo para trabalhar na empresa. Sentiu-se feliz e compensado, vendo nesse primeiro emprego também a possibilidade de devolver aos pais, especialmente, ao menos uma parcela do muito que lhe fizeram ao longo dos anos de preparo. No seu segundo mês de trabalho, certa tarde, o gerente ordenou que ele efetivasse os lançamentos contábeis de tal forma que a empresa escapasse ao pagamento de um pesado imposto que, por certo, abalaria em muito o seu superávit. Prometeu-lhe ótima recompensa, argumentando, para justificar os termos do arranjo:
--Estamos lhe prometendo essa respeitável gratificação, porque sabemos das suas lutas e dificuldades ...
--De fato, por várias razões, eu tenho mesmo necessidade de ganhar um pouco mais--disse o moço--porém, não dessa forma. E se por esta minha convicção tiver de deixar o emprego, deixarei. E não me leve a mal, amigo, mas recuso-me, terminantemente, a realizar o que me pede.
Desapontado, o gerente retirou-se; mas em pouco mais de meia hora estava de volta para dizer ao rapaz:
--Levei sua palavra final ao presidente e ele lhe pede comparecer com a máxima urgência ao seu gabinete.
A essa altura dos acontecimentos o rapaz saiu resoluto. de cabeça erguida, mas interiormente já contava estar demitido. Contudo, dessa vez enganou-se, porque ao se apresentar diante do presidente foi calorosamente cumprimentado e informado de que acabava de ser promovido a uma função mais importante e sobremaneira mais compensadora, exatamente por haver resistido à provação.
Roberto Carneiro

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa