terça-feira, 10 de março de 2015

Bispo de Rio Branco conclama jovens na ajuda aos acreanos

O bispo de Rio Branco (AC), dom Joaquín Pertíñez, divulgou carta aos jovens do Brasil em que pede solidariedade ao povo do Acre, que sofre com as enchentes consideradas as maiores da história do estado.
"Nestes momentos em que nosso Estado do Acre, e em especial, a capital Rio Branco, passa por uma situação difícil e trágica, pela enchente do rio Acre, apelamos à solidariedade de todos", conclama o bispo.
Em Rio Branco, 53 bairros sofrem com a cheia do Rio Acre, que registrou na manhã de hoje um nível mais baixo que o de ontem, porém ainda alto de 17,85 metros. Cerca de 2,6 mil famílias, num total de 9.251 pessoas, estão distribuídas nos 26 abrigos.

"É muito sofrimento e tristeza ao mesmo tempo! Sente-se muita impotência diante de semelhante situação!", lamenta dom Joaquín.
Para enfrentar a situação, uma parceria entre a diocese, o governo local e outras igrejas, chamada de "Acre Solidário, busca arrecadar recursos, mantimentos e materiais de uso pessoal para auxiliar as famílias desabrigadas.
Comissão
A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em reunião com os bispos referencias para a juventude dos 18 regionais da entidade, realizada em Brasília nesta semana, aprovou apoio à campanha Acre Solidário, que visa ajudar os mais de 86 mil atingidos pela cheia do rio Acre. 

As doações em dinheiro podem ser realizadas na conta: Banco do Brasil, C/C: 500-2, Agência: 0071-x, CNPJ: 14.346.589/0001-99. 

Confira a carta de dom Joaquín Pertíñez, na íntegra:

20150305064718Prezados Jovens do Brasil: Paz!

Nestes momentos em que nosso Estado do Acre, e em especial, a capital Rio Branco, passa por uma situação difícil e trágica, pela enchente do rio Acre, apelamos à solidariedade de todos. A cheia do rio já atingiu 53 bairros e mais de 87 mil pessoas foram atingidas. Muitas crianças, idosos, mães gestantes, estão sofrendo as consequências das águas. Muitos já perderam casa, móveis, roupas… E ainda falta o pior, a pós-enchente, com a sujeira, lama, doenças e a volta para as casas meio destruídas e acabadas. É muito sofrimento e tristeza ao mesmo tempo! Sente-se muita impotência diante de semelhante situação!
É a maior enchente da história do Acre. O rio ultrapassou os 18,40 m. e já é considerada a maior catástrofe do século na Amazônia.
“Quero uma Igreja solidária, servidora e missionária, que anuncia e saiba ouvir. A lutar por dignidade, por justiça e igualdade, pois ‘eu vim para servir’”.
Que o espírito da Campanha da Fraternidade nos faça a todos mais solidários e missionários, como Igreja samaritana que devemos ser. Pedimos as orações de todos para nosso povo, nestes momentos de tanta dor e sofrimento.
Meu abraço fraterno,
Dom Joaquín PertíñezBispo de Rio Branco

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa