sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Aperitivos light

Encontre com os amigos e continue mantendo a dieta

Ingredientes:

Para a pasta de azeitona preta:
½ xícara (chá) de margarina light (90 g

2 colheres (sopa) de azeitona preta sem caroço picada
2 talos de cebolinha verde lavados e em tirinhas
sal e pimenta-do-reino moída na hora

Para a pasta de ervas finas:
½ xícara (chá) de margarina light (90 g)
3 ramos de salsa lavados e picados
4 ramos de tomilho lavados e picados
3 ramos de alecrim lavados e picados
sal e pimenta-do-reino moída na hora

Para a pasta de frango:
½ xícara (chá) de margarina light (90 g)
½ peito de frango cozido e desfiado (200g)
raspas de 1 limão
3 ramos de salsa lavados e picados                                                               
sal e pimenta-do-reino moída na hora
Modo de Preparo:

1. Para a pasta de azeitonas, junte a margarina, as azeitonas pretas e a cebolinha até obter uma mistura homogênea e tempere com sal e pimenta-do-reino moída na hora.

2. Para a pasta de ervas finas, misture bem a margarina e as ervas picadas e tempere com sal e pimenta-do-reino moída na hora.

3. Para a pasta de frango, misture a margarina, o frango desfiado e as raspas de limão, salpique a salsa e tempere com sal e pimenta-do-reino moída na hora. Sirva com torradas de pão sírio.

Dica/Variação:
Redução calórica das pastas em relação às preparadas com margarina cremosa: de 25% (frango) a 50% (ervas).

Redução de gordura em relação às pastas preparadas com margarina cremosa: de 33% (frango) a 55% (ervas).

Você ainda pode criar outras combinações com margarina light. Experimente preparar pastinhas de laranja ou de rúcula picadinha com cubinhos de tomate, por exemplo.
Tempo de Preparo: 10 minutos
Rendimento: 10 porções 
Receita e foto cedida pela empresa Sadia

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa