sábado, 11 de setembro de 2010

Penne com tomate, ervilha e broto de feijão

Ingredientes:

1 xícara (chá) de ervilha fresca - 130g
100 g de broto de feijão 2 colheres (sopa) de azeite de oliva espanhol - 20g
2 colheres (sopa) de alecrim fresco picado - 8g
2 tomates médios sem sementes e picados - 230g
200 g de macarrão tipo penne
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de Fazer

1. Coloque as ervilhas em uma panela com 1 litro de água fervente. Depois de 1 minuto, incorpore o broto de feijão, misture e retire do fogo. Escorra a água e reserve.
2. Disponha em uma panela 1 colher (sopa) de azeite de oliva e o alecrim. Leve ao fogo e refogue rapidamente, sem parar de mexer. Junte as ervilhas, o broto de feijão, os tomates, o sal e a pimenta-do-reino. Misture, retire do fogo e reserve.

3. Coloque o penne em uma panela com 2 litros de água fervente e 2 colheres (chá) de sal. Deixe cozinhar por 10 minutos ou até a massa ficar al dente. Retire do fogo e escorra a água.
4. Montagem: arrume o penne nos pratos, disponha o refogado de ervilha com broto de feijão e regue com o azeite de oliva restante. Polvilhe pimenta-do-reino.

Rendimento: 4 porções de 210 g
Tempo de preparo: 15 minutos (mais o tempo de cozimento da massa)

Valor nutricional por porção:
260 Kcalorias;
44 g de carboidratos;
8,5 g de proteínas;
6 g de gorduras totais (1 g de saturada, 4 g de monoinsaturada e 1 g de poliinsaturada);
0 de colesterol;
3 g de fibras;
3 mg de ferro;
31 mg de cálcio

Foto: André Ctena

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa