terça-feira, 7 de setembro de 2010

Rondelli de batata com tomate seco

A massa ganha novo sabor com o recheio elaborado por Palmirinha Onofre

Ingredientes para a massa:
½ quilo de batata cozida (pesar depois de cozida)
100g de queijo ralado
 1 colher (sopa) de margarina
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
Sal a gosto

Recheio:
100g de mussarela
200g de tomate seco
½ maço de rúcula
100g de mussarela de búfala
300g de molho de tomate
Queijo para polvilhar

Modo de fazer - Molho opcional:
Em uma panela aqueça um pouco de azeite e refogue alho e cebola. Junte o molho de tomate. Deixe ferver, em fogo baixo, por cerca de 30 minutos.

Massa:
Em um recipiente, coloque a batata cozida, a margarina, o queijo ralado, sal e farinha de trigo (reserve um pouco). Misture com as mãos (neste momento, se necessário, utilize a farinha reservada). Abra a massa obtida sobre um pedaço de papel alumínio polvilhado com farinha de rosca. Espalhe sobre ela as fatias de mussarela de búfala, tomate seco e rúcula. Regue com um pouco de azeite (opcional). Enrole com auxílio do papel alumínio. Retire o papel e acomode-o em um recipiente. Regue com o molho e polvilhe queijo ralado. Leve ao forno para gratinar.

A seguir, corte em rodelas com uma espessura de aproximadamente 2 dedos.

Receita e foto cedidas pela editora Emporium de Idéias, responsável pela revista: Receitas da Palmirinha, entre outras publicações.

Para saber mais acesse: www.emporiumdeideias.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Reflexão

Todas as pessoas costumam falar em justiça ,mas para a maioria delas o fundamento dessa justiça são princípios e valores humanos, principalmente o que está escrito nas leis. Para nós cristãos, esse critério não é suficiente para entendermos verdadeiramente o que é justiça. Não é suficiente em primeiro lugar porque nem tudo o que é legal, é justo ou moral, como por exemplo a legalização do divórcio, do aborto ou da eutanásia. Também devemos levar em consideração que todas as pessoas, embora sejam seres naturais, possuem um dom de Deus que faz delas superiores à natureza, participantes da vida divina, e como Deus é amor, o amor é, para quem crê, o único e verdadeiro critério da justiça

CNBB - Imprensa